Brasil

13/04/2010 às 17h31

Vamos entrar na briga pelo futebol, diz Record

Redação Portal A8

A vitória de Fábio Koff para mais um mandato na presidência do Clube dos 13 deve ampliar a disputa pelos direitos de transmissão de futebol no Brasil. Sergio Hilinsky, coordenador de Esportes da Rede Record, disse nesta terça-feira (13) que a emissora irá aproveitar o atual momento e entrar na briga para ser uma nova opção dos fãs do esporte mais popular do país.

- Foi um bom sinal, um momento histórico no cenário do futebol. A Record entende que se abre a possibilidade para melhorar a situação financeira dos clubes e de uma nova opção para o público.

O Clube dos 13 é a associação dos principais times de futebol do Brasil, responsável pela negociação dos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro com as redes de televisão. Na última segunda, Fábio Koff venceu por 12 votos a 8 a eleição contra Kléber Leite, ex-presidente do Flamengo e que tinha o apoio da CBF.

O atual contrato de transmissão negociado pelo Clube dos 13 com a Rede Globo vence em 2012. A partir de então, a Record, segundo Hilinsky, pretende ter também o futebol em sua grade de programação.

- A partir de agora a Record tem total interesse na briga pelos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro. Nosso papel como emissora é contribuir para o fim do monopólio das transmissões esportivas no Brasil. Mas para isso precisamos ter certeza absoluta de que a disputa pelos direitos não será um "jogo de cartas marcadas", como aconteceu outras vezes. Somos a favor da total transparência.

Detentora exclusiva dos direitos dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, em 2011, e dos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, entre outros eventos, a Record quer aproveitar sua estrutura esportiva na disputa pelo futebol.

- Queremos nos transformar em uma opção de entretenimento esportivo também com o futebol, assim como já fazemos hoje com os grandes eventos do calendário olímpico, como o Pan e as olimpíadas de verão e de inverno.

Entre as promessas de Fábio Koff em sua campanha a transparência nas negociações foi um dos destaques. O dirigente diz que os valores negociados com as interessadas no futebol serão abertos e decididos pelos clubes que fazem parte da associação.

Fonte: R7