Brasil

12/10/2009 às 07h44

Favela que pegou fogo deixa cerca de mil estão desabrigados

Redação Portal A8

O cenário é de destruição na favela Diogo Pires, no Jaguaré (zona oeste), na manhã desta segunda-feira (12) após o incêndio que tomou conta de quase toda a comunidade ontem. Dos cerca de 400 barracos da favela, 300 foram destruídos. Ao todo são 1.000 pessoas sem ter onde morar. No local, ainda era possível ver focos de fumaça, mas muitos moradores tentavam retomar a rotina.

Na manhã desta segunda-feira os desabrigados não tinham informação sobre o que iria acontecer.

O número exato de barracos queimados ainda não está fechado. Ele só será conhecido após a Defesa Civil cadastrar todas as famílias desabrigadas para que elas sejam encaminhadas a abrigos da prefeitura. Na noite deste domingo, a assessoria de imprensa da Secretaria de Subprefeituras não havia estimado o total de desabrigados.

Não é a primeira vez que o incêndio destrói essa favela. Outros três episódios foram registrados em 2000, 2003 e 2006.

O incêndio na comunidade Diogo Pires começou pouco antes das 18h. O fogo se alastrou rapidamente nos barracos e destruiu a favela em cerca de uma hora. Por volta das 20h, os bombeiros informaram que o fogo estava controlado, com a existência de pequenos focos.

Foram enviados ao local 25 carros para apagar as chamas e cerca de 70 bombeiros trabalharam para controlar o fogo. A AES Eletropaulo informou ter desligado a energia na região da favela.

Segundo o capitão Miguel Jordas, porta-voz do Corpo de Bombeiros, os bombeiros demoraram cerca de cinco minutos para chegar ao local e dar início aos trabalhos. Uma indústria química é vizinha à favela e os bombeiros tiveram de fazer resfriamento para que ela não fosse atingida. Outro problema foi em relação ao fornecimento de água para apagar as chamas. Os bombeiros usaram caminhões-pipa.

Durante a madrugada, os bombeiros farão operação rescaldo para impedir novos focos de incêndio.

 

Com informações do R7