Brasil

16/09/2009 às 19h47

Lula declara que próxima eleição será melhor devido ausência

Redação Portal A8

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, disse hoje (16) que a eleição presidencial de 2010 será melhor que as anteriores porque não haverá candidatos de direita. "Pela primeira vez, não vamos ter candidato de direita na campanha. É fantástico isso?". Para Lula, a eleição presidencial do próximo vai ter esse caráter inédito dos candidatos.

"Se apresentarem os candidatos que estou vendo aí, vai ser uma coisa inédita. Se tiverem quatro ou cinco candidatos, todos têm o espectro de esquerda. Uns podem não ser mais tão à esquerda quanto eram, mas não tem problema. A história e a origem dão credibilidade ao presente das pessoas", afirmou Lula ao participar da cerimônia de comemoração dos 45 anos do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) .

Para o presidente, a ausência de um candidato de direita vai melhorarr o nível da campanha eleitoral, pois as campanhas eleitorais anteriores eram sempre disputadas por candidatos de esquerda, centro-esquerda contra os "trogloditas" da direita. "Começou a melhorar comigo e com Fernando Henrique Cardoso, já foi um nível elevado. Depois, eu e o Serra [José Serra, governador de São Paulo]. Depois, eu e o Alckmin [Geraldo Alckmin], baixou o nível, por conta dele e não por conta minha", disse Lula.

Lula enfrentou Fernando Henrique Cardoso (PSDB) nas eleições de 1994 e 1998, perdendo as duas. Em 2002, a disputa foi com o também tucano José Serra, atual governador de São Paulo. Em 2006, ele derrotou Geraldo Alckmin, também do PSDB.

Para o presidente da República, as mudanças climáticas e a exploração do petróleo da camada pré-sal serão os principais temas de debates nas próximas eleições, ficando de fora a dívida externa, a intervenção do Fundo Monetário Internacional (FMI) e o desemprego, que Lula classificou como "tabus ficando para trás".

"Qual é a grande discussão da próxima campanha? O futuro. Quem vai fazer a melhor proposta de futuro para este país?", afirmou.

Lula voltou a defender as suas viagens pelo país. Ele alegou que ao visitar várias cidades o governante passa a tomar decisões mais acertadas. "O Brasil não é a cara de São Paulo. O país precisa ser visto pelas pessoas que querem governar", disse.

Fonte: Agência Brasil