Brasil

27/02/2009 às 09h16

CGU deve auditar contas do fundo de Furnas, diz Lobão

Ministro, porém, evitou dizer se há problemas na gestão do fundo; PMDB pressiona por troca no comando

Redação Portal A8

Estadão
O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse nesta quinta-feira, 26, que o governo deverá pedir à Controladoria Geral da União (CGU) para que faça uma auditoria nas contas do fundo de pensão Real Grandeza, que administra a aposentadoria dos funcionários de Furnas. "A Eletrobrás, como controladora de Furnas, é que deverá fazer o pedido à CGU. Queremos ver o que está acontecendo para saber quem tem razão", disse o ministro.

Lobão lembrou que a estatal Furnas é patrocinadora do fundo e coloca recursos nele. "E como o presidente de Furnas disse que pediu informações ao fundo e não recebeu, temos de saber o que houve", completou.

O ministro ressaltou que a atual diretoria fez mudanças no estatuto em defesa própria, aumentando em um ano o mandato de diretores e dando a eles a possibilidade de reeleição por tempo indeterminado. Lobão, porém, evitou dizer se há ou não problemas na gestão do fundo. Segundo ele, isso terá de ser checado pela auditoria que a CGU fará.

A queda de braço envolvendo Lobão e a diretoria do fundo Real Grandeza foi pauta da reunião de ontem do ministro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo fontes do governo, Lobão defendia que, em assembleia marcada para hoje, fosse realizada uma eleição para trocar o comando do fundo. Os funcionários porém se opuseram ao movimento, acusando o ministro de tentar emplacar nomes do PMDB para gerir o bilionário fundo e chegaram a marcar paralisações em protestos contra a eventual mudança.

Lula, porém, segundo essas mesmas fontes, teria preferido a cautela e pedido para que a eleição não se realizasse. Nos bastidores, o que se comenta é que o presidente preferiu aguardar para saber o que de fato está acontecendo no fundo, antes de patrocinar mudanças em sua diretoria.

Fonte: Estadão