Sergipe

27/04/2017 às 18h43

Detran/SE realiza capacitação de preenchimento de boletins de acidente de trânsito para policiais militares

SSP/SE

O evento contou com a presença do perito criminal Nailson Correia, que falou sobre Exames de Alcoolemia para policiais Rodoviários da CPRV e CPTRAn

Os policiais militares da Companhia de Policiamento de Trânsito (CPTran) e do Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv) estarão participando do primeiro curso de Capacitação de Preenchimento de Boletins de Acidente de Trânsito (BOAT) promovido pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran), por meio da Coordenadoria de Acidentes de Trânsito (COAT). O evento iniciou-se na terça-feira, dia 25, e foi concluído nesta quinta, 27, no auditório da CPTran. O objetivo é reforçar a importância do detalhamento correto de sinistros nos boletins de trânsito, possibilitando um melhor encaminhamento da Justiça em relação aos direitos exigidos pelas pessoas que se envolvem em acidentes de trânsito.


O diretor-presidente do Detran/SE, cel. Luiz de Azevedo, realizou a abertura oficial do curso, saudando os militares. “Esse curso é de grande importância principalmente para ofertarmos um serviço de qualidade e mais célere à sociedade”, apontou.

Nos três dias de curso, cerca de 200 oficiais receberam as informações necessárias para o preenchimento correto dos BOATs e também tiraram suas dúvidas a respeito desse documento. A coordenadora responsável pela COAT, Gláukia Suiane, destacou que o BOAT é o levantamento de dados na hora da ocorrência e que consta no documento a avaliação da danificação dos veículos. “Os militares que estão nas ruas têm uma responsabilidade muito grande no preenchimento desses dados. Eles estão lá, in loco, e podem ver claramente a ocorrência dos fatos. Repassar os dados na forma fiel é uma forma de fazer o juiz de trânsito entender o que ocorreu a ponto de fazer justiça com quem de fato está correto. Isso dá garantias de direito à parte envolvida em acidentes de trânsito”, explicou.

A coordenadora complementa que se há um campo falho ou explicado incorretamente, há dificuldades na interpretação do ocorrido, implicando em prejuízos aos envolvidos, como por exemplo o recebimento do seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de vias Terrestres (DPVAT). “É preciso atender ao usuário a contento e apresentar um boletim bem formulado, que evite que a própria equipe da COAT/Detran precise se deslocar às audiências judiciais para explicar o que já deveria estar claro nesses boletins”, informou Gláukia.

O comandante da BPRv e participante do evento, major Denny Ricardo dos Santos, reconheceu a importância desse curso de atualização. “Toda qualificação é muito importante e deve ser um processo continuado para as ações do policial militar. Aprender novas técnicas e novas ações de procedimentos é fundamental para o oficial estar em condições proativas nas ocorrências policiais, em especial as de trânsito. Fazer os boletins de maneira correta, por exemplo, assegura que estaremos contribuindo para a formação de uma base segura de dados, bem como operar para que os prejuizos sejam reparados a quem é de direito”, opinou.

Lei Seca

No encerramento do curso, o perito criminal Nailson Correia de Araújo ministrou aos presentes palestra sobre o exame pericial de alcoolemia que consiste em uma análise baseada em meios técnicos e científicos, realizada por peritos criminais para a detecção de álcool no sangue. "'Convidado pelo Programa Vida no Trânsito' dotamos os policiais de informações acerca dos exames periciais realizados no Instituto de Análises e Pesquisas Forense (IAPF), bem como os procedimentos a serem seguidos pelos policiais ao notarem estado de alteração psicomotor", explana Nailson.

Os acidentes de trânsito relacionados ao uso de álcool são considerados um problema de saúde pública no mundo inteiro. Em Sergipe, esse tipo de perícia é realizada no IAPF através da técnica analítica denominada Cromatografia Gasosa como Detector de Ionização em Chama (GC-FID). Esta serve para endossar a prova técnica.


Fonte: SSP/SE