Sergipe

23/02/2017 às 17h08

Governo do Estado paga terceira parcela do Mão Amiga Laranja a partir desta sexta, 24

ASN-SE

Os trabalhadores da colheita da laranja inscritos no Programa Mão Amiga já podem sacar a terceira parcela do benefício a partir desta sexta-feira, 24 de fevereiro, véspera de carnaval. Basta dirigir-se a qualquer agência do Banco do Estado de Sergipe ou Ponto Banese, tendo em mãos o cartão do Programa. Para esta parcela, o Governo de Sergipe creditou R$ 845.120,00, referentes ao pagamento dos 4.448 catadores de laranja cadastrados no programa, executado desde 2009 através da Secretaria de Estado da Mulher, Inclusão e Assistência Social, do Trabalho e dos Direitos Humanos (Seidh). 

Fazem parte do Mão Amiga Laranja os trabalhadores dos municípios de Estância, Indiaroba, Itaporanga D’Ajuda, Boquim, Arauá, Pedrinhas, Cristinápolis, Tomar do Geru, Santa Luzia do Itanhy, Riachão, Lagarto, Umbaúba, Salgado e Itabaianinha. De acordo com Heleonora Cerqueira da Graça, diretora de Inclusão Produtiva da Seidh, após essa parcela, os beneficiários deverão participar de seminários de contrapartida, entre os dias 09 e 23 de março.

“É importante lembrar que a presença nos seminários é obrigatória, sendo pré-requisito para o recebimento da quarta e última parcela do benefício. Levaremos informações de utilidade para o homem do campo, temáticas vinculadas às áreas de ação das coordenadorias da Seidh, informações sobre direitos, e nesta edição, a novidade de temáticas relativas à saúde”, pontuou Heleonora. Ainda segundo ela, o calendário completo dos seminários será divulgado em breve, com as datas e locais exatos de realização.

Entre 2015 e 2016, já superou os R$ 10 milhões o investimento do Governo de Sergipe no Programa Mão Amiga, criado para minimizar, por meio da transferência de rensa, os prejuízos causados pelo desemprego no período da entressafra. A cada edição. são pagas quatro parcelas de R$ 190 aos beneficiários – além dos catadores de laranja dos 14 municípios da citricultura supracitados, os trabalhadores do corte da cana de 20 municípios sergipanos de atividade sulcroalcooleira.


Fonte: ASN-SE