Sergipe

11/01/2017 às 08h42

Makro: Movimentação ainda é grande no local do incêndio; Equipes dos bombeiros e SMTT permanecem na área

Redação Portal A8

Ainda há uma nuvem branca de fumaça na manhã desta quarta-feira (11) nas imediações do local do incêndio que destruiu o supermercado Makro. Equipes da SMTT estão atuando na avenida Tancredo Neves para ajudar na fluidez do trânsito e organizar o fluxo dos veículos devido a neblina formada pela fumaça e também para evitar que se forme engarrafamentos por parte dos motoristas mais curiosos.

Supervisor Alcebíades Júnior (SMTT)
"Estamos trabalhando para evitar a lentidão aqui em frente ao que era o supermercado. A fumaça ainda é forte, inclusive precisamos pedir a equipe do corpo de bombeiros uma máscara para auxiliar também na preservação da saúde das nossas equipes. Entendemos que a curiosidade dos motoristas é grande com relação ao fato, mas estamos pedindo a colaboração de todos para evitar engarrafamentos no local", disse o supervisor Alcebíades Júnior, da SMTT.

O incêndio, considerado até agora com o de maior proporção na história da capital, mobilizou 70 bombeiros. As chamas começaram no final da tarde de ontem. Segundo informações preliminares, o fogo teria começado na área das câmaras de frios e perecíveis do supermercado. O combate ao incêndio adentrou a noite e as chamas só foram debeladas completamente por volta das 23h. Cerca de 80 pessoas entre funcionários e clientes estavam no supermercado na hora do incêndio, todos conseguiram escapar.

De acordo com o presidente da Sindicato dos Corretores de Seguro (Sincor), Érico Melo, a empresa era segurada. "Sendo assim, com o pagamento da indenização pela seguradora, a unidade vai voltar a operar e continuar empregando centenas de sergipanos e contribuindo para o desenvolvimento do Estado", comunicou Érico.

Coronel Gilvan Paixão
O coronel do Corpo de Bombeiros, Gilvan Paixão Lima, permanece no local do incêndio monitorando as equipes que chegaram na manhã de hoje. "Estamos fazendo o monitoramento dos focos remanescentes. Permaneceremos durante todo o dia fazendo esse controle. Mas não há mais risco de novos incêndios na área atingida. Buscaremos uma retroescavadeira para também auxiliar nesse rescaldo ", informou o coronel.

O Corpo de Bombeiros ainda não sabe ao certo o que pode ter causado o incêndio e a partir da imagens do circuito de segurança e de clientes vai investigar o ocorrido. A Defesa Civil interditou o local para a realização da perícia.