Sergipe

04/01/2017 às 08h12

Japaratuba: Lara Moura afirma ter herdado dívida de R$ 30 milhões da prefeitura; ex-gestão rebate as críticas

Com informações das assessorias

Lara reúne secretariado para apurar atual situação e definir metas. Foto: Assessoria
A prefeita empossada do município de Japaratuba, Lara Moura (PSC) diz ter herdado uma dívida de aproximadamente R$30 milhões da administração anterior. A atual gestão chama o suposto rombo nos cofres da prefeitura de "herança maldita" deixada pelo ex-prefeito. A nova gestora diz ainda que parte do patrimônio público foi destruída ou simplesmente desapareceu. Ontem (3) Lara Moura reuniu o secretariado municipal para, de acordo com o panorama encontrado, traçar as diretrizes no serem adotadas no início do primeiro ano da sua gestão.

De acordo com texto divulgado pela assessoria da prefeita, o município contava com oito ambulâncias servindo à população. Durante a fase de transição do governo, no final do ano passado, contudo, a equipe de Lara constatou a redução para apenas duas. As demais estavam quebradas ou em estado de sucata. Já depois da posse da prefeita, as duas ambulâncias restantes também teriam sido encontradas encostadas.

Ainda segundo a assessoria de Lara Moura, de toda a frota da prefeitura, 18 veículos vão a leilão. Apenas oito estariam rodando, entre eles uma patrol e uma caçamba. Os 14 ônibus do município estariam em condições precárias. Os prédios da Prefeitura de Japaratuba também estariam em péssimo estado de conservação. Salas com odor de mofo e lixo, mato crescido nas áreas externas, vazamentos, descargas quebradas e problemas elétricos.

A assessoria da prefeita informou também que nos prédios administrativos municipais há portas e janelas estragadas, telhados e paredes precisando de reparos. Até uma TV que estava afixada em uma parede no gabinete da prefeita teria sumido. O mesmo teria acontecido com um frigobar, com aparelhos de ar condicionado, computadores, impressoras e até com as câmeras de monitoramento. No entulho, haveria restos de computadores, cadeiras, mesas, bebedouros entre outros equipamentos e objetos de praxe na administração pública.

“Compraremos duas novas ambulâncias e abasteceremos com remédios a Farmácia da Prefeitura, além de garantirmos a merenda escolar de qualidade. As prioridades são as escolas e os postos de saúde”, informou a prefeita Lara.

Contradizendo as informações divulgadas pela assessoria da atual gestão da Prefeitura de Japaratuba, o ex-secretário de Comunicação do município, emitiu a seguinte nota de esclarecimento:

Perplexos e indignados com o que está sendo noticiado em relação patrimônio pertencente à Prefeitura Municipal de Japaratuba por parte da gestão recém empossada, vimos a público esclarecer que diferentemente da situação em que encontramos a prefeitura quando assumimos a gestão do município no ano de 2013, em que tivemos que entrar com Ação de Busca e Apreensão junto Ministério Público devido ao péssimo estado que se encontravam os órgãos administrativos municipais e para resgate de toda a documentação pública, inclusive contratos e processos licitatórios, levadas pela gestora quando do término do mandato, estamos entregando a prefeitura em situação mais cômoda do que a deixada pela atual prefeita no seu mandato anterior ao nosso.

A menos de três meses adquirimos 01 picape Amarok para a secretária de saúde e 01 picape Duster Oroch, esta com recursos arrecadados em leilão de venda da sucata deixada pela atual prefeita em sua gestão passada. Adquirimos ainda 05 ambulâncias, as quais se encontram na prefeitura necessitando apenas de manutenção devido à regularidade de uso e situação normal de depreciação, 13 ônibus, quando encontramos apenas 01 em condições de uso, e 02 Doblôs para servir à Secretaria de Assistência Social.

Cabe ressaltar que ao assumimos a prefeitura no ano de 2013 encontrando apenas 01 ambulância em condições de uso e 02 em estado de sucata, as quais foram leiloadas. Ressalte-se ainda que fim de destinar os bens que não estavam em condições de uso e que não foram resgatados no leilão anterior publicamos recentemente um novo edital de leilão, porém, a gestora ora empossada entrou com liminar no Tribunal de Contas do Estado para suspensão desse ato.

Em relação aos itens que não se mais se encontram no gabinete do prefeito, TV e Câmeras, saliente-se que estes não são de domínio público (não foram adquiridos com recursos da prefeitura), e sim de propriedade privada do ex gestor, razão pela qual foram retirados do prédio e que as máquinas de xerox eram de locadas à Empresa e Universal, conforme contrato existente na prefeitura, tendo que ser devolvidas quando do término do mesmo.

Por fim resta enfatizar que aos restos a pagar deixados pela nossa gestão gira em torno de cinco milhões e não trinta como está sendo noticiado pela atual prefeita.

A assessoria disponibiliza ainda, a quem desejar, todos os documentos que comprovam o que está sendo esclarecido nesta nota. 

Por Saulo Brito
Ex Secretario de comunicação na gestão 2013-2016 da Prefeitura Municipal de Japaratuba


Fonte: Com informações das assessorias