Sergipe

21/09/2016 às 11h21

Criminalística faz reconstituição do crime que matou a criança em Japoatã

Redação Portal A8

Foto: Reprodução
A polícia civil juntamente com a criminalística e apoio da coordenadoria do interior fez a reconstituição do crime que matou a criança de 4 anos, Wallace Thiago no município de Japoatã, nesta terça-feira (21). A criança ficou desaparecida e foi encontrada quase um mês após o desaparecimento, enterrada no povoado Poxim. Após a produção dessa prova e outros resultados do judiciário será possível concluir o inquérito.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Thiago Lustosa, a reconstituição foi realizada para reforçar as provas já colhidas. A polícia foi até o local onde foi enterrada a criança, e fez os passos do padastro, que já confessou a participação integral da morte da criança. Ele saiu para caçar às 22h30 do dia 04 de agosto e a criança desapareceu desde o dia seguinte. Segundo a última versão apresentada pelo padastro Genisson Feitoza Marques, ele teria acordado e asfixiado a criança. Depois forjou um cenário, colocando uma cadeira perto da porta para indicar que a criança teria saído por conta própria.

Por fim, saiu de casa, sem o conhecimento da mãe do garoto, enterrou o menino. O homem alega ter feito tudo sozinho e sem um planejamento prévio.

O delegado decretou a prisão preventiva de 30 dias, do padastro Genisson, que confessou a autoria do crime e também da mão da criança, ainda não foi confirmada a participação dela no crime.

O resultado da perícia após a reconstituição, será entregue em até 15 dias, e a conclusão do inquérito deve acontecer nos próximos 18 dias.