Sergipe

20/09/2016 às 07h57

Brasil perde mais de um milhão de empregos com a crise

UNICOM/FIES

Na última sexta-feira, o Ministério do Trabalho divulgou a Relação Anual de Informações Sociais (Rais) e trouxe um dado já esperado, mas não menos preocupante, que em 2015 a perda de vagas em empregos formais chegou a 1,510 milhões, o pior desde o início desta pesquisa em 1985. A última vez que o país registrou uma perda anual deste tipo de emprego foi no longínquo ano de 1992, quando foram perdidos 623 mil postos de trabalho. 

De acordo com a Rais, o único setor que conseguiu um superávit na criação de empregos foi a agricultura com a adição de 20,9 mil pessoas. Já os outros setores perderam empregos formais, como a indústria da transformação (- 604,1 mil), construção civil (- 393 mil) e comércio (195,5 mil). Já a estatística por região, a sudeste foi a mais prejudicada com menos 900 mil postos de trabalho, seguida pela nordeste que caiu 233,6 mil empregos no período.

Para a CNI, com a concordância da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES), a recuperação da economia brasileira só será possível a partir da recuperação da confiança dos investidores na indústria nacional. Além disso, há necessidade urgente da realização de ajustes fiscais e da modernização da legislação trabalhista a ponto de alavancar as expectativas e, por consequência, estimular a criação de novos postos de trabalho.


Fonte: UNICOM/FIES