Sergipe

02/09/2016 às 09h31

SSP e Secretaria de Justiça discutem o combate de entrada irregular de aparelhos de telefone celular nas penitenciárias

SSP/SE

Na manhã desta quinta-feira, 01, o secretário de Segurança Pública de Sergipe, João Batista, recebeu em seu gabinete a visita do secretário de Estado da Justiça (Sejuc), Antônio Hora, além de diretores de penitenciárias do Estado. Na pauta, unir forças para combater a entrada irregular de aparelhos de telefone celular nas penitenciárias, além de identificar os autores das supostas ameças veiculadas nas redes sociais, na última semana. 

Na reunião, Antônio Hora fez questão de ressaltar que a Secretaria de Justiça não compactua com existência de telefone celular no interior dos presídios, e que a ideia é unir forças com a SSP/SE para atuar de forma mais eficiente no intuito de impedir a entrada desses aparelhos nas unidades, além de buscar identificar os autores das ameaças veiculadas. 
Sobre a questão das visitas íntimas, o secretário da Sejuc esclareceu que estão garantidas, principalmente em virtude do apoio das Polícias Civil e Militar que estarão presentes, dando o suporte necessário: “Conseguimos reunir condições para que a gente pudesse garantir a realização da visita com segurança para os visitantes, com segurança para os agentes que estão dentro do presídio. Portanto, estamos anunciando oficialmente que o Estado vai manter a visita íntima no presídio do Copemcan. As mulheres podem se deslocar aos sábados com bastante tranquilidade que nós estaremos lá preparados para receber bem o visitante e para proporcionar o direito do interno”. 
Na madrugada dessa quinta-feira, uma ação desencadeada por sete pessoas resultou num incêndio a um ônibus coletivo no bairro América, zona Oeste de Aracaju. Segundo depoimento de testemunhas que estavam no interior do veículo, os indivíduos relataram ter agido a mando de pessoas que estavam dentro de presídios, em represália à atuação da polícia dentro da instituição. 
Sobre o caso, o delegado-geral da Polícia Civil, Alessandro Vieira, presente à reunião, ressaltou que “por parte da Polícia Civil, o trabalho vem sendo feito no sentido de identificar a autoria dos criminosos, para garantir que sejam devidamente responsabilizados. O que a gente percebe é que há uma tentativa de intimidação da sociedade, por parte dos marginais, mas a gente pode garantir com absoluta certeza que Sergipe não vai ser vítima deste tipo de situação”. 
Em relação à identificação dos presos, o delegado informa que a condução do inquérito será presidida pelo delegado João Eloy, diretor do Complexo de Operações Especiais da Polícia Civil (COPE). “Tenho a convicção de que muito rapidamente vamos conseguir dar um retorno para a sociedade", frisa Alessandro Vieira. 
Na oportunidade, o comandante geral da Polícia Militar, coronel Marcony Cabral, fez questão ressaltar o trabalho de policiamento preventivo que vem sendo intensificado nas áreas mais críticas e aproveitou a oportunidade para tranquilizar a população em relação às ameaças dos presidiários que estão sendo disseminadas nas redes sociais: “Quero deixar claro para a população sergipana que a Polícia Militar está atenta para inibir e retirar estes criminosos de circulação. Temos policiais abnegados, e não permitiremos que queiram implantar o caos no Estado. Não vamos nos intimidar”.


Fonte: SSP/SE