Sergipe

24/08/2016 às 16h05

SMTT, MP e Sintaxi assinam termo para a implantação do terminal para táxis do interior

Ascom/SMTT

Ascom/SMTT
O superintendente municipal de Transportes e Trânsito de Aracaju Nelson Felipe esteve reunido na manhã desta quarta-feira (24) com o Sindicato dos Taxistas de Sergipe (Sintaxi), cooperativas de táxis do interior e com o Ministério Público para discutir a implantação de um terminal para táxis do interior.

O local apresentado fica ao lado do terminal de ônibus e dos mercados centrais, nas proximidades das Avenidas Simeão Sobral com General Calazans, facilitando aos taxistas e aos passageiros o acesso às demais regiões de Aracaju. Após a apresentação foi assinado o Termo de Audiência Extrajudicial onde todos concordaram com as normas e a área apresentada.

Segundo Nelson Felipe, a SMTT irá sinalizar todo o local a fim de oferecer uma estrutura organizada para os taxistas do interior. “Este trabalho irá facilitar todo o processo de fiscalização dos táxis dentro de Aracaju. Iremos disponibilizar o espaço com toda a estrutura e sinalização para que seja usado de forma ordenada pelo Sindicato dos Taxistas e cooperados. Agora cabe ao Sintaxi nos ajudar a manter a organização para o projeto dar certo”, disse.

Presente na reunião, a promotora de Justiça Euza Missano afirmou que a ideia de criar um “bolsão” facilitará na fiscalização, na disciplina e no ordenamento da circulação dos táxis do interior. “Estamos a favor deste bolsão para que facilite o órgão fiscalizador do trânsito na cidade. A fiscalização permanece para garantir a melhoria da mobilidade urbana na capital. E quem descumprir com a lei será penalizado”, concluiu.

O vice-presidente do Sintaxi Gerson Ferreira disse que a categoria irá se reunir nesta sexta-feira para alinhar o discurso em busca do sistema. “Nós do sindicato iremos discutir com os cooperados para buscarmos ainda mais a melhoria no transporte de passageiros. Estamos muito felizes em saber que os órgãos de fiscalização nos apresentaram um projeto para ajudar a categoria. Nos foi dado um prazo de 30 dias para comunicarmos a todas as cooperativas a respeito do novo sistema”, comentou.

 

 

 

 


Fonte: Ascom/SMTT