Sergipe

23/08/2016 às 07h42

Transferência da maternidade de Capela para o Hospital Regional de Socorro é adiada

Ascom/SES

Gestores da Secretaria de Estado da Saúde (SES), da Fundação Hospitalar (FHS), da Secretaria Municipal da Saúde de Capela, representantes do Sindicato dos Trabalhadores da Saúde (Sintasa) e servidores do Centro Obstétrico Leonor Barreto Franco reuniram-se nessa segunda-feira (22), para discutir mais uma vez sobre a transferência temporária do Centro Obstétrico para o Hospital Regional de Nossa Senhora do Socorro, região cujo município de Capela é integrante.

 

Após conversa, a gestão Estadual optou em adiar a transferência do serviço, que já estava prevista para acontecer a partir de 01 de setembro. 

 

“Pensamos no funcionamento e no fortalecimento da Rede Hospitalar como um todo. Vivemos um momento de crise e precisamos garantir a assistência, tanto com atendimentos para a população quanto com o abastecimento das unidades”, destacou a secretária de Estado da Saúde, Conceição Mendonça.

A gestora ainda reforçou que, “nesta tomada de decisão foram feitas considerações sobre todos os envolvidos, sem comprometer a mão de obra qualificada dos servidores. Haverá um novo momento de diálogo, no qual os servidores apresentarão alternativas para o melhor aproveitamento da unidade”.

 

Manutenção

 

A gestão Estadual falou com a equipe sobre os motivos que levaram à decisão da transferência temporária, apontando dados e custos de manutenção da unidade, que realiza uma média mensal de 70 partos, sendo que possui capacidade para até 400 por mês.

 

Além disso, melhorias da infraestrutura do prédio também foram alguns pontos para a mudança de Capela para Nossa Senhora do Socorro. 

“Tivemos o cuidado de pensar em uma alternativa que não prejudicasse os servidores e nem mesmo a população, mas precisamos otimizar os recursos e estamos considerando os resultados que vem sendo registrados”, explicou o diretor geral da FHS, Hans Lobo.

 

“Encontraremos, todos juntos, um denominador comum para a transferência temporária. Vamos encontrar soluções que viabilizem o funcionamento pleno da unidade”, avaliou a secretária Municipal da Saúde de Capela, Sônia Penalva.


Fonte: Ascom/SES