Sergipe

03/08/2016 às 17h35

Novo informe epidemiológico aponta 120 casos de microcefalia confirmados em Sergipe

SES

Dois novos casos de Microcefalia foram registrados em Sergipe na última semana, de acordo com o Informe Epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), através do Núcleo Estratégico (Nest/SES). Um no município de Santo Amaro das Brotas e o outro em Tobias Barreto. No total, são 252 notificações de bebês nascidos com a má-formação congênita, sendo que 120 casos já foram confirmados, 61 descartados e 71 continuam em processo de investigação.  

O boletim, publicado semanalmente, é baseado no sistema de Registro de Eventos em Saúde Pública – Resp/Cievs/DVS, e mostra que os casos notificados estão distribuídos em 55 municípios sergipanos, com a Região de Saúde de Aracaju aparecendo com maior número de casos (89). A lista segue comas Regiões de Nossa Senhora do Socorro (41), Estância (36) e Itabaiana (27). O informe também contabiliza a notificação de 10 óbitos de bebês com Microcefalia.

A notificação dos casos de crianças nascidas com a má-formação congênita tornou-se compulsória a partir da declaração de Emergência em Saúde Pública de Interesse Nacional, feita em novembro do ano passado, quando todas as unidades de saúde passaram a ter obrigação legal de notificar a Secretaria de Estado sobre casos novos, dentro do prazo de 24 horas após a identificação de qualquer suspeita.

De acordo com a gerente do Núcleo de Doenças Transmissíveis da SES, Mércia Feitosa, uma das referências técnicas da área, “o trabalho de monitoramento é constante. É essa rotina de contato com municípios e unidades de saúde que norteia as ações do Governo, para oferecer a melhor assistência possível a essas mães e bebês”.

O Protocolo de atendimento, definido em conformidade com todos os setores envolvidos, determina que o Ambulatório de Follow Up acolha as crianças nascidas na Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL). As que residem em municípios da Região de Saúde de Aracaju devem receber assistência no Centro de Especialidades Médicas da Criança e do Adolescente (Cemca). Os nascidos nas demais regiões são direcionados ao Hospital Universitário (HU). 

 


Fonte: SES