Sergipe

04/07/2016 às 09h59

Coren identifica irregularidades durante fiscalização no hospital Fernando Franco

Redação Portal A8

Foto: Ascom/Coren
O Conselho Regional de Enfermagem em Sergipe (Coren) realizou uma fiscalização na noite desse domingo (03), no Hospital Fernando Franco, Zona Sul. Durante a visita foi constatada a falta de medicamentos, instalações inadequadas e problemas no quadro de profissionais de enfermagem.
Foto: Ascom/Coren

De acordo com informações do Coren, medicamentos como Clexane e Clopdrogrel estão em falta. Sendo que o segundo é usado em atendimento de pacientes cardíacos. Além da falta dos remédios, o monitor de parada cardíaca da emergência pediátrica está com defeito, a sala de isolamento em desacordo com a legislação, já na sala de curativos, não tem pia e nem banheiro.

Outro problema estrutural encontrado, foi na sala de estabilização, que está funcionando como UTI, mas sem médico durante todo seu horário. Essa é uma sala para que o paciente fique no máximo 24 horas e tem pacientes com mais de três dias.

Ainda segundo o relatório do Coren, na pediatria os acompanhantes não tem local para se acomodar, muitos pais ficam durante o período de internamento sentados nas camas com os filhos.  Os berços estão enferrujados e os colchões em péssimo estado de conservação, além disso, muitas vezes os pacientes precisam levar lençol de casa.

Após a fiscalização, a presidente do Coren, Maria Claudia Tavares de Mattos, foi até a Delegacia Plantonista onde prestou queixa diante da situação encontrada.

A prefeitura de Aracaju se pronunciou através de nota:

Diante dos problemas apontados pelo Conselho Regional de Enfermagem (Coren) após inspeção realizada na noite de ontem, no Hospital Fernando Franco (Zona SUL), a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) esclarece:

- A escala de enfermeiros não está sendo cumprida integralmente porque alguns  profissionais aderiram ao movimento grevista. Mas a secretaria tem buscado alternativas para que os usuários não fiquem desassistidos. No momento em que os representantes do Coren estiveram no hospital três enfermeiros trabalhavam no plantão quando o quantitativo normal é de quatro;

- Com relação à falta de medicamentos, a SMS já abriu processo licitatório para realizar uma compra emergencial. É importante ressaltar que em muitos dos casos os medicamentos que estão em falta são prontamente substituídos por outros que estão disponíveis na farmácia do hospital, nesse caso os usuários os pacientes não estão sendo prejudicados;

- Sobre os problemas estruturais, também há um processo licitatório em andamento para compra de novos equipamentos, como cadeiras e macas, além de materiais médicos hospitalares que serão adquiridos com o intuito de atender melhor a população que é usuária do Sistema Único de Saúde .