Sergipe

01/07/2016 às 14h38

Servidores em greve têm os salários bloqueados pelo governo

Redação Portal A8

Cerca de 1.200 servidores da administração pública que estão em greve desde o dia 8 de junho, tomaram um susto nesta sexta-feira (01), quando verificaram que o salário referente ao mês de junho não havia sido pago.

De acordo com o representante do Sindicato dos Trabalhadores nos Serviços Públicos do Estado de Sergipe (Sintrase), Diego Araújo, o bloqueio foi indevido, pois a greve não foi considerada ilegal. “Eles cortaram o ponto de forma indevida e vamos buscar a justiça para entrar com um mandado de segurança determinando o pagamento desses servidores até o dia 10 de julho”, afirmou o representante do Sindicato. Ainda segundo o Sindicato, o governo não concedeu o reajuste de 24,31% previsto na tabela do Plano de Cargos, Carreira e Vencimentos da Administração Geral (PCCV).

Já a assessoria da Secretaria do Estado de Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplag), explicou que a greve desses servidores está prejudicando o funcionamento das escolas públicas do estado.  “O Governo tomou essa decisão, pois sempre esteve aberto ao diálogo e ficou surpreso do início da greve logo após o implante do PCCV, que era a principal reivindicação dos servidores”, destacou Maíra Andrade.

Dos 4.000 servidores da administração pública, cerca de 1.2000 aderiram a greve e tiveram o ponto cortado pelo estado.

 

Nota sobre bloqueio 

"O Tribunal de Justiça de Sergipe declara ilegal a greve do Sindicato dos Trabalhadores nos Serviços Públicos do Estado de Sergipe (Sintrase). A decisão do desembargador Edson Ulisses de Melo, de número 201600115749, foi divulgada nesta sexta-feira, 1°.

A decisão considera abusiva a greve e determina a suspensão imediata do movimento paredista, sob pena de incidência de multa diária no valor de R$ 5.000,00. Em sua justificativa, o desembargador Edson Ulisses cita a implantação do Plano de Cargos e Vencimentos em 31 de maio de 2016 e utiliza a declaração do Presidente do Sintrase, Diego Araújo, sobre o ato. “(...) houve manifestação do Presidente do SINTRASE, que chegou a afirmar, in verbis: “É muito bom ver que o governador cumpre o que foi prometido. Finalmente as negociações avançaram e fechamos um plano que é bom para todos”.

Sobre o bloqueio de salários de parte dos servidores administrativos, cerca de 1200 de um universo de 4800 servidores, o Governo do Estado informa que a medida foi adotada para defender o direito das crianças e adolescentes que precisam da merenda e dos serviços básicos nas escolas estaduais. Esses estudantes que estão sendo prejudicados fazem parte do elo mais fraco desta engrenagem social e precisam ser defendidos pelo Governo de Sergipe. 

O Governo do Estado reafirma que mantém abertos os canais de diálogo com a categoria, e seus representantes sindicais para resolver esse impasse desde que os funcionários faltosos, retornem aos seus postos de trabalho."