Sergipe

04/05/2016 às 15h21

Dias das Mães deve refletir data de “pequenas lembranças”

Ascom/CDL

Com a crise econômica e aumento do desemprego, os gastos dos brasileiros no Dia das Mães devem ser mais modestos do que no ano passado. Um levantamento realizado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostra que quase metade (47,5%) dos consumidores pretende gastar menos com o presente deste ano na comparação com 2015.

A data é a segunda mais importante para o varejo em volume de vendas e faturamento, ficando atrás apenas do Natal. Para a Câmara de Dirigentes Lojistas de Aracaju (CDL), a data deve “reprimir as vendas em relação ao mesmo período do ano passado, mas deve aquecer alguns segmentos como vestuário, sapatarias, perfumarias, bijuterias, mercado da internet e armarinhos”, opina o presidente da entidade, Brenno Barreto.

Este ano, o Dia das Mães, que vai ser comemorado domingo, 08, deve ser afetado principalmente pelo desemprego, sendo essa a principal razão para 24,8% dos entrevistados que pretendem gastar menos diminuírem os gastos.

Outros motivos também foram citados, como o endividamento (21,0%) e a necessidade de economizar (16,6%). “Com o crédito mais restrito, a inflação elevada e as taxas de juros cada vez mais altas, o consumidor tem seu poder de compra reduzido e uma das principais medidas para salvar as finanças acaba sendo o corte de gastos”, avalia o presidente da CNDL, Honório Pinheiro.

De acordo com o levantamento da CNDL, os entrevistados têm sentido no dia a dia a alta da inflação: 70,5% têm a impressão de que os produtos estão mais caros em 2016; 20,5% acreditam que os presentes estão na mesma faixa de preço, e para apenas 8,9% estão mais baratos.

Valor do presente fica em R$ 93,55

A maioria dos entrevistados pelo SPC Brasil (54,2%) pretende comprar somente um presente e 30,9% dos entrevistados afirma comprar dois presentes, percentual que cresce entre os homens (35,4%). O valor médio do gasto pretendido entre os consumidores que sabem o quanto irão gastar é de R$ 93,55 com cada presente.

Uma parte significativa dos consumidores (38,3%), porém, ainda não sabe ou não decidiu o valor da compra do Dia das Mães. Quatro em cada dez (38,8%) entrevistados disseram que irão gastar até R$ 100,00; 12,5% entre R$101,00 e R$200,00 e 10,3% acreditam que gastarão mais de R$200,00 com cada presente na data comemorativa.

As roupas lideram as preferências entre quem pretende presentear no Dia das Mães em 2016 (37,0%), seguidas dos perfumes (29,1%) e calçados (17,5%).

Data importante

Segundo Brenno Barreto, apesar da instabilidade econômica, os brasileiros são muito afetivos e tendem a comprar “pequenas lembrancinhas”, mesmo tendo em conta os tempos de crise econômica.

“A maioria vai comprar presentes para doar à própria mãe, seguido de esposas e sogras. Isso também é levado em conta pelos lojistas, já que esta data só perde apenas para o Natal e fim de ano”, observa o presidente da CDL.

Para ele, o pagamento do presente à vista em dinheiro destaca-se como a principal modalidade utilizada pelos consumidores (58,7%), bem à frente do cartão de crédito parcelado (19,2%) e do cartão de crédito à vista (11,2%).

Brenno recomenda cautela e diz que o ideal para o consumidor é evitar o abuso de parcelamentos e realizar todos os pagamentos a vista, tendo em conta a exorbitância dos juros cobrados nos cartões de crédito, “embora o parcelamento em pequenas parcelas que não gerem dívidas altas, pode ser uma boa solução”.


Fonte: Ascom/CDL