Sergipe

14/04/2016 às 13h31

Estudantes de Dores realizam ato e pedem mais segurança

Publi editorial

Centenas de estudantes se reuniram nesta quarta- feira (13), na praça do Jacaré em Nossa Senhora das Dores, para pedir mais segurança. Eles reivindicaram uma presença mais constante da polícia, principalmente à noite, quando os alunos se deslocam de casa para a escola. Os constantes assaltos têm deixado a comunidade estudantil assustada. 

No entanto, um fato que chamou a atenção e causou estranheza foi a articulação de membros da oposição ao prefeito João Marcelo, que desde o início deu apoio à manifestação estudantil. É que ontem, os ônibus da empresa Aliança, contratada pelo Estado para transportar os estudantes dos povoados para a sede, não rodaram, deixando centenas deles sem poder participar da manifestação. 

O responsável pelo serviço é morador do povoado Sucupira e pré-candidato a vereador apoiado pelo pré-candidato a prefeito da oposição. Na segunda-feira, 11, o mesmo Douglas, durante um outro protesto dos estudantes, comprometeu-se publicamente com todos eles que colocaria os ônibus à disposição na quarta-feira, mesmo afirmando que estava com o pagamento em atraso por parte do Estado. O compromisso foi feito no microfone, diante da presença dos alunos, vereadores, policiais e do prefeito.

Na quarta-feira, João Marcelo foi almoçar em um restaurante na cidade de Cumbe, acompanhado de assessores e amigos, quando encontrou com Douglas, o pré-candidato a prefeito da oposição e o vereador Vado.  Coincidentemente, já no início da manifestação, o próprio Douglas disse ao prefeito, na praça do Jacaré, que não colocou nenhum ônibus circulando porque estava sem receber, quebrando a promessa que havia feito aos estudantes na segunda-feira. 

“Percebe-se, claramente, o intuito de esvaziar o movimento que não é político, mas da juventude. É uma reinvindicação justa e feita de maneira pacífica, mas que não contou com todos os estudantes, pois os que residem nos povoados ficaram impedidos de participar, o que é lamentável. Uma pena, porque esse tipo de atitude por parte da nossa oposição só prejudica algo que é um clamor não só dos nossos jovens, mas de toda a população ”, criticou João Marcelo. 

A certeza de que houve boicote político ao movimento estudantil foi que logo após o protesto, o próprio Douglas postou em grupos do WhatsApp da cidade que hoje, 14, os ônibus retornariam a circular, pois o Estado havia efetuado o pagamento que, segundo ele, foi feito à noite.


Fonte: Publi editorial