Sergipe

28/03/2016 às 10h10

Polícia elucida homicídio de empresário executado em Tobias Barreto

SSP/SE

A investigação desvendou quem são os responsáveis pela morte do empresário Adriano Teles, 37 anos, ocorrida no último dia 20 de março em um bar da cidade de Tobias Barreto. Foram presos na quinta-feira, 24, no bairro São Carlos, em Aracaju, o mandante Rafael Aguiar dos Santos, 22 anos, o 'Carroça', e o executor Ranflei Nascimento de Oliveira, 21.

Segundo o delegado Edson Nixon, Ranflei e um mais um comparsa de pré-nome Mike, que ainda não foi preso, confessa que foi contratado por Rafafel para matar um desafeto, que é seu adversário no tráfico de drogas na região. As investigações apontam que Mike levou Ranflei, em uma motocicleta roubada, para Tobias Barreto e foi ele quem apontou a pessoa errada.
Todo o crime foi filmado por câmeras de segurança instalada na região do estabelecimento comercial. Além das imagens e da confissão de Ranflei, quatro testemunhas já o reconheceram como sendo o atirador. Ranflei foi preso pela equipe do major Ribeiro, que é subcomandante do 3º Batalhão da Polícia Militar, no loteamento Jardim Liberdade, bairro São Carlos, zona oeste de Aracaju.
“Após a prática do homicídio e pelo fato de já ter trabalhado oito anos em Tobias Barreto, recebemos a determinação do comandante geral da PMSE para acompanhar o fato. A PM levantou informações no local de crime e assim que surgiu o nome de Ranflei como autor dos disparos, levantamos sua identificação civil e criminal e durante dois dias fizemos várias campanas no bairro São Carlos, próximo ao Bugio, e tivemos êxito na sua prisão”, destacou Ribeiro.
O delegado acrescenta que na casa do suspeito foi encontrado um chinelo com características bem singulares, que foi utilizado por ele no mesmo dia do crime. “Essas circunstâncias deixam claro que ele foi o atirador e fez isso a mando de Carroça, que é um traficante de médio porte aqui de Aracaju”, disse o delegado Edson Nixon.
As investigações apontaram, também, que Rafael determinou a Ranflei que matasse seu rival no tráfico de drogas na região em represália a morte de um soldado do tráfico de Rafael assassinado por esse rival há cerca de quatro meses em Tobias Barreto. “A origem disso tudo foi uma vingança em razão de dois grupos de traficantes daquela região que estavam se rivalizando há algum tempo. Por isso, não temos dúvidas que Adriano Teles foi morto por estar no lugar e hora erradas. Ele é um cidadão de bem e, provavelmente, foi confundido por ter um biotipo parecido com o da pessoa que deveria ter sido morta”, atestou o delegado.
Rafael nega que seja o mandante e disse que a polícia não tem nada contra ele. “Ranflei inicialmente confessou o crime com riqueza de detalhes e agora com medo de Rafael tenta mudar sua versão. Rafael não tinha passagens pela polícia e isso se explica porque ele se utiliza de outras pessoas para cometer os seus delitos”, disse Nixon.

A polícia não tem dúvidas de que está diante de uma quadrilha razoavelmente organizada que age tanto na capital como em alguns pontos do interior do Estado. Com a elucidação do homicídio do empresário, a Polícia Civil espera esclarecer pelo menos outros dois homicídios no município de Tobias Barreto.


Fonte: SSP/SE