Sergipe

22/03/2016 às 15h01

Secult e Universidade Federal de Sergipe assinam termos de cooperação

Secult

O curso de Artes Cênicas e o Coro Sinfônico da Universidade Federal de Sergipe (UFS) ganham novos espaços para estudos, ensaios e apresentações. Através de dois termos de cooperação assinado entre a Instituição de Ensino e a Secretaria de Estado da Cultura (Secult), os alunos de teatro e da dança poderão utilizar o Teatro Lourival Baptista, enquanto o Coro passa a ter disponível o Teatro Tobias Barreto.

“Acredito que usar a razão, a lógica, a criatividade e apostar em parcerias é a melhor forma de superar os percalços desta e de qualquer crise. Espero que muitas parcerias ainda sejam firmadas com a Universidade Federal de Sergipe, que sempre engrandece, e muito, a gestão do Governo do Estado”, afirmou o secretário de Estado da Cultura, Elber Batalha.  

Em contrapartida a utilização dos espaços cedidos, a Universidade auxiliará a manutenção básica dos teatros com produtos de limpeza, troca de lâmpadas, conserto dos ares condicionados entre outros itens previstos nos termos de cooperação.  Além disso, o Coro Sinfônico deverá desenvolver atividades em conjunto com a Orquestra Sinfônica de Sergipe (Orsse).

De acordo com o maestro Daniel Neri, o local atual de ensaio Coro e da Orquestra Sinfônica da UFS é muito antigo e precisaria de uma reforma para atender as condições acústicas necessárias. “Essa parceria com a Secretaria de Cultura é extremamente importante, não só por colocar os alunos dentro do Teatro, mas também por possibilitar a eles o contato com músicos profissionais da Orquestra Sinfônica de Sergipe, o que certamente irá contribuir para a sua formação acadêmica”, afirmou.  

Durante a cerimônia de assinatura dos termos, os presentes puderam assistia a uma pequena apresentação do Coro Sinfônico e a uma encenação dos alunos de teatro. “Esta parceria é uma forma de otimizar esforços e dar maior eficiência social á Universidade, o que na minha opinião é uma das principais funções de uma instituição pública. Também é uma forma de racionar os recursos públicos e prestar um melhor serviço para a sociedade, e isso é possível trabalhando de forma integrada”, declarou o reitor da UFS, Angelo Antoniolli. 


Fonte: Secult