Sergipe

09/03/2016 às 18h29

Obra da Deso provoca desvios na Avenida Anísio Azevedo

SMTT/AJU

Na manhã desta quarta-feira, 09, o asfalto cedeu no cruzamento entre a Avenida Anísio Azevedo e Rua Guilhermino Rezende, devido ao rompimento de uma tubulação da Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso). Atenta aos possíveis transtornos no trânsito causados pelo isolamento do trecho para o reparo na tubulação, a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) posicionou agentes para orientar o fluxo de veículos e realizar os desvios necessários.

Logo no início da manhã, as equipes da Deso, em parceria com os agentes de trânsito, isolaram o local e deram início às providências necessárias. A Deso mobilizou sua equipe para identificar o problema, e a SMTT montou uma operação para reduzir os transtornos causados no trânsito da região.

Foto: SMTT/AJU

Por conta da obra de reparo, que tem um prazo estimado de duração de 30 dias, a SMTT montou um esquema de trânsito na região. Durante o período, o condutor que vem da Avenida Beira-Mar pela Anísio Azevedo e deseja retornar, deve convergir na primeira rua à direita, a Rua Cedro, em seguida na Rua Moacyr Rabelo Leite e realizará a mão inglesa na Rua Laura Fontes, retornando à Avenida Anísio Azevedo. Para o condutor que segue na Anísio Azevedo no sentido Beira-mar, faz-se necessária a conversão à esquerda na Rua Laura Fontes, depois à direita na Moacyr Rabelo Leite, seguindo pela Rua Cedro, sentido Centro.

Segundo o engenheiro da Deso responsável pelo reparo, Orlando Santana, a obra levará um tempo maior que o esperado para a conclusão devido ao período de altas marés. “Trata-se de uma tubulação de esgoto de 1.200mm e com uma profundidade razoável, o que prejudica o nosso trabalho, já que a região era um manguezal que foi aterrado para a construção da cidade. Isso torna o terreno mais suscetível a alagamentos e dificulta o trabalho da equipe, que precisará instalar bombas durante a obra. Resolvido esse problema, só faremos o escoramento, a retirada da tubulação danificada e a substituição. Estabelecemos o prazo máximo de 30 dias, mas podemos concluir antes”, informa o engenheiro.

O diretor de Trânsito da SMTT, Coronel Cruz, explica que os agentes de trânsito estão no local para diminuir os transtornos no trânsito da região e que foi montada uma operação de desvios para o período. “Fomos informados pela população local do ocorrido e nossos agentes foram os primeiros a chegar. Logo entramos em contato com a Deso, que enviou uma equipe ao local para detectar o problema. Pensamos que seria uma obra rápida, mas fomos informados pelo engenheiro da gravidade do problema. Realizamos os desvios necessários para que a equipe pudesse trabalhar com tranquilidade e os condutores não fossem tão prejudicados”, explica o diretor.

Para dar fluidez ao trânsito da região durante a obra, será proibido o estacionamento nas Ruas Moacyr Rabelo Leite e Laura Fontes.


Fonte: SMTT/AJU