Sergipe

29/02/2016 às 09h37

Acusado de matar a própria companheira é preso em Propriá

SSP/SE

Uma operação envolvendo as Polícias Civil e Militar realizada na tarde da última sexta-feira, 26, resultou na prisão de João Evangelista dos Santos, mais conhecido como “Vaninho”, acusado de ser o autor do assassinato que vitimou Rosilvânia Silva Santos, 32 anos, sua companheira à época, morta com golpes de faca na frente do filho do casal, em Pacatuba. A prisão foi efetuada no município de Propriá, distante 99 quilômetros da capital sergipana.

Em entrevista coletiva realizada na manhã de hoje, 29, o delegado Antônio Wellington, coordenador da Delegacia Regional de Propriá, e o tenente-coronel Hilário, comandante do 2º Batalhão da Polícia Militar (2ºBPM), detalharam a operação. Segundo Antônio Wellington, durante as investigações, os agentes descobriram que a motivação para o crime teria sido em virtude da companheira manifestar o desejo de abandonar o acusado por conta dos recorrentes maus-tratos que sofria.

“Com as provas obtidas para a formação do inquérito policial e descoberta a motivação para o cometimento do delito, nossas equipes entraram em campo a fim de efetuar a prisão do acusado, que foi realizada graças à ajuda da população, que denunciou o local onde ele estava abrigado. Nossos agentes, com o apoio de policiais militares do 2º Batalhão, se descolaram até o Povoado Santa Cruz, situado no município de Propriá, e efetivaram a abordagem ao imóvel, localizando o suspeito”, explicou o delegado.

De acordo com o tenente-coronel Hilário, no momento da ação, o acusado tentou reagir contra a ordem de prisão dada pelos policiais, ameaçando-os com uma arma branca. “Mesmo assim, nossos militares conseguiram contê-lo, efetivando a sua prisão. Ainda no local, ele disse preferir a morte a ser preso”, salientou o oficial.

Já na Delegacia Regional de Propriá, para onde João Evangelista foi encaminhado, ele confessou a autoria do crime, alegando que não aceitava a separação e que o homicídio ocorreu após discussão com a companheira sobre o fim do relacionamento. O acusado encontra-se sob custódia, à disposição do Poder Judiciário.


Fonte: SSP/SE