Sergipe

05/02/2016 às 15h25

Incêndio de grandes proporções destrói loja no Centro de Aracaju

Redação Portal A8

 

 

A altura da fumaça escura assustou quem passava pelo centro da capital no início da tarde desta sexta-feira (5). Rapidamente o fogo que inicialmente tinha atingido a parte superior do Lojão da China, localizado na avenida Carlos Burlamarqui, destruiu praticamente toda a estrutura do estabelecimento. Cerca de 26 homens do Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBMSE), seis viaturas e duas viaturas de grande porte trabalharam para controlar o fogo.

Desolados, os proprietários do estabelecimento, choravam enquanto os bombeiros agiam no local. Um dos funcionários da loja, Mateus Souza, contou como o fogo começou. “Nós estávamos atendendo os clientes quando vimos o início do fogo na parte mais alta, pegamos o extintor para tentar apagar, mas foi em vão, logo depois as chamas aumentaram e não conseguimos mais fazer nada”, lamentou.

Dona de um comércio que fica próximo ao incêndio, Leninha Santana, fez um apelo com relação a segurança do local. “Eu estava longe daqui quando me ligaram e contaram que o fogo já estava tomando conta e vim para cá, é lamentável esta insegurança que vivemos aqui no Centro, infelizmente, problemas como este incêndio estão se tornando cada vez mais comuns”.

Com a ajuda da plataforma aérea, os homens do Corpo de Bombeiros conseguiram controlar o fogo pouco antes das 15h. Presente durante a operação, o comandante CBMSE, coronel Reginaldo Dória, explicou que as causa do incêndio serão avaliadas em perícia, mas alguns problemas de armazenamento foram detectados. “Foi um incêndio de grandes proporções, as causas ainda vão ser avaliadas, identificar alguns erros que houve no atendimento, ainda não há como atribuir culpa ninguém, será feita uma perícia detalhada para avaliar as causas do incêndio, mas alguns erros já foram observados como no almoxarifado da loja, além do armazenamento em grande quantidade de equipamentos propícios a incêndio”.

A população que esteva no local chegou a reclamar de uma possível demora no atendimento dos CBMSE, o que foi negado pelo comandante. “Não houve demora, a fase inicial é feita de forma ordenada e a plataforma aérea só é acionada em casos específicos para fazer o combate aéreo, inicialmente nossa equipe fez a extinção na base, fez a análise da situação, para tomar as medidas cabíveis”.

Equipes da Guarda Municipal de Aracaju e trabalhadores da Energisa trabalharam na ação.