Sergipe

27/01/2016 às 11h01

Militantes da luta antimanicomial fazem ato contra o atual coordenador de saúde mental do país

Redação Portal A8

Na manhã desta quarta-feira (27), militantes da luta antimanicomial ocuparam as ruas do centro de Aracaju para aderir à campanha nacional para que o Coordenador Nacional de Saúde Mental, Valencius Filho renuncie ao cargo. Segundo a psicóloga Carla Carvalho ele foi indicado no dia 14 de dezembro, mas ainda não começou a trabalhar, porque há um movimento em Brasília que ocuparam as duas salas da saúde mental dentro do prédio do ministério da saúde e dizem que só vão sair quando ele renunciar.

O movimento acontece desde a nomeação, segundo a psicóloga, Valencius foi gerente durante seis anos do maior hospital psiquiátrico da América Latina, que fica no Rio de Janeiro, mas nesse hospital aconteciam várias atrocidades, as pessoas viviam nuas, e algumas até morreram eletrocutadas. “Um hospital que serve apenas para excluir as pessoas, além de não ter feito nada, na época ele foi contra a lei da reforma psiquiátrica”, afirma a psicóloga.

Um dos sergipanos que teve problemas mentais foi Arthur Bispo do Rosário que viveu durante 50 anos em um desses hospitais no Rio de Janeiro. Atualmente os tratamentos são voltados para inserção social, os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) fazem um acompanhamento e tratamento com uma equipe multidisciplinar e nos serviços eles não ficam presos e vão todos os dias, antes desse modelo, eles eram privados do convívio social. Ainda segundo a psicóloga, Sergipe é referência nacional em tratamento psiquiátrico.