Sergipe

26/01/2016 às 16h46

Grávidas reclamam de falta de atendimento em maternidade de Aracaju

Redação Portal A8

Desde as oito da manhã desta terça-feira (26) que o guarda-municipal Sérgio Oliveira busca atendimento para a esposa Flavia Rezende, grávida de 38 semanas, na Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL), em Aracaju.

“Logo cedo nós viemos para cá, ela foi avaliada, foi encaminhada para a Maternidade Santa Isabel, lá disseram que não tinha mais vaga e nos mandaram de volta para cá. Até este momento, estamos aqui aguardando, eles não dão encaminhamento, e só dizem que não é gravidez de risco, mas precisamos receber atendimento com respeito e com humanidade”.

A dona de casa Rosângela da Silva está vivendo uma situação parecida. Grávida de nove meses, somente nesta terça, ela esteve na maternidade duas vezes e não conseguiu atendimento. “Estou sentindo muitas dores e todas as vezes que venho aqui eles me dizem que não tem mais vaga, esta situação está muito difícil”, lamentou.

Nota da maternidade

Através de nota, a assessoria de comunicação da MNSL justificou a reclamação das grávidas. "A Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL) esclarece que a paciente Flávia Rezende, com 37 semanas e 4 dias de gestação, proveniente do município de Japaratuba, foi atendida, avaliada e liberada para o pré-natal por conduta médica no dia 26.01.2016. Já a paciente Rosângela da Silva, com gestação de 39 semanas e 4 dias, proveniente do município de São Cristóvão, foi avaliada como de risco habitual e transferida para a maternidade Santa Izabel, na capital, por conduta médica. Segundo a equipe médica da MNSL, assim como todas as gestantes, essas pacientes tiveram assistência garantida e todos os casos são avaliados segundo protocolos estabelecidos pela Sociedade de Obstetrícia. A equipe clínica da maternidade tem total capacitação e autonomia para avaliação dos casos.

A MNSL atende casos de alta complexidade, através do Sistema Único de Saúde (SUS), a gestantes de alto risco portadoras de patologias, como hipertensão, diabetes, cardiopatia e trabalho de parto prematuro".