Sergipe

14/01/2016 às 16h33

Governador assina decreto que altera nome de escolas e prédios públicos

Redação Portal A8

Portal A8SE
Durante solenidade na manhã desta quarta-feira (14) o governador Jackson Barreto assinou os decretos que alteram os nomes de três escolas da rede pública de ensino do estado de Sergipe. As unidades de ensino que terão o nome modificado são os colégios presidente Médici, Castelo Branco e Costa e Silva, que passarão a se chamar respectivamente Nelson Mandela, Paulo Freire e professor João Costa.

Para o governador hoje foi um dia histórico. “Para nós que tivemos participação muito efetiva para luta da redemocratização do Brasil ao lado de tantos amigos e demos os melhores dias de nossas vidas em função de melhores dias para o nosso país, é um motivo para comemorar”, destacou o governador que ressaltou. “Além disso, a Comissão Nacional da Verdade nos sugere que sejam retirados os nomes daqueles que contribuíram para a violência, dos prédios públicos, rodovias e logradouros.  Essas pessoas contribuíram para a violência, para afronta aos direitos humanos, sendo responsáveis pelo processo de torturas, exílios de democratas, enfim, todo o arcabouço gerado na época do regime militar. Temos a obrigação de enterrarmos no lixo da história para que novas gerações não venham amanhã questionar sobre os governantes que permitiram que as escolas públicas mantivessem nome de militares comprometidos com a violência”.

O governador também declarou durante a solenidade, que falava como ex-preso político e como cidadão que foi julgado por um júri militar. “Quero que as novas gerações passem a entender do papel de Paulo Freire, no papel de grande educador do nosso país, que foi exilado e perseguido por Castelo Branco. E agora a escola passa a se chamar Paulo Freire, estamos resgatando a história e exaltando no nome de Paulo Freire”.

Portal A8SE

Já o colégio Médici passará a se chamar Nelson Mandela, que para o governador simboliza a luta pela liberdade no mundo. “Ele que passou quase 29 anos no presídio na África do Sul e que foi condenado a prisão perpetua e que tem simbolismo enorme na vida de todos nós, principalmente no nosso pais que tem em sua formação a presença do negro”, destacou o governador.

Outra mudança será na escola Costa e Silva, que passa a se chamar Professor João Costa. “Nada que estamos fazendo é com ódio ou ressentimento, apenas para apagar da história esses nomes, para que as novas gerações no futuro possam falar do professor João Costa, que foi um grande mestre nascido no nosso estado, que deu uma grande contribuição na escola, mas também que contribuiu muito na cultura, pois usou o teatro num processo de libertação e conscientização do nosso povo”.

No interior do estado, o estádio Presidente Médici, passa a se chamar Etelvino Mendonça. “O nome de um torturador em um estádio, porque não homenagear o grande desportista de Itabaiana. O homem que doou o terreno para a construção do estádio, estamos homenageando agora um sergipano que tem a ver com a nossa história”, concluiu.

Polêmica

Sobre a polêmica gerada entre os alunos que não concordaram com a mudança nos nomes o governador deixou claro que é uma decisão do executivo. ”Eu quero deixar bem claro que na história de Sergipe normalmente a situação de nomes sempre foi da alçada do executivo, então eu acho que essa homenagem saiu do pensamento de um grupo de companheiros, que precisava homenagear estes homens q tanto contribuíram, essa decisão foi realmente da área do governo”, explicou Jackson Barreto que ressaltou. “Não estão errados em criticar, faz parte da democracia e eu peço desculpa de não ter uma discussão maior mas tenho certeza que se todos forem ler sobre a história desses nomes, vão ter certeza dessas nomeações”.