Sergipe

06/01/2016 às 09h55

Mulheres são vítimas de assédio por um suposto fisioterapeuta

Redação Portal A8

Conversa com o suposto fisioterapeuta
Tatiane Alécio foi umas das mais de dez vítimas de assédio após publicação de um anúncio na procura de emprego em um site de compras e vendas. Segundo Tatiane, no domingo (03) ela publicou o currículo dela no site e na segunda-feira (04), um suposto fisioterapeuta entrou em contato com ela por telefone.

Ele disse que poderia marcar tudo pelo número que eles estavam conversando por mensagem, só que teria que fazer um acordo. Segundo a vítima, o acordo seria que ela saísse com ele e ele pagaria um salário de 2000 reais por mês. O emprego seria garantido por ele e ela trabalharia como recepcionista numa clínica da amiga dele no bairro Coroa do Meio em Aracaju. O horário de trabalho seria das 8h às 16h, de segunda a sexta-feira.

Ele garantiu o emprego se houvesse o acordo, mas quando ela percebeu a farsa, ele bloqueou ela da conversa, no mesmo dia ela fez a denúncia no site que ela havia publicado a divulgação do seu currículo. Ela divulgou o número do telefone dele e momentos depois cerca de dez mulheres entraram em contato com ela, informando que a mesma pessoa, com o mesmo número e a mesma fala teria tentado praticar o assédio.

Uma das vítimas conseguiu imagens de uma clínica no bairro Suissa, que ele teria postado nas redes sociais, outra vítima foi uma menor de idade. A equipe do Portal tentou entrar em contato com o número da conversa com a vítima, mas não obteve êxito. As mulheres estão se organizando para fazer a denúncia desse suposto fisioterapeuta.

Ao ligar para o Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 7ª região, não foi registrado nenhum fisioterapeuta com o nome de Jonh Lennon, nome utilizado por ele e gravado no jaleco com o símbolo da Fisioterapia.