Sergipe

05/01/2016 às 11h09

Chuvas em Sergipe serão mais intensas na divisa com a Bahia

Ascom Semarh

De acordo com a Sala de Situação de Tempo e Clima da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh) o aumento das chuvas em Sergipe acontece em decorrência da influência da Zona de Convecção do Atlântico Sul, uma massa de ar que se origina no oceano e segue em direção ao continente, atingido os Estados da Bahia, Sergipe e Alagoas. Essa massa de ar influencia no aumento da incidência de chuvas localizadas. Em Sergipe, a maior incidência é prevista para as regiões do agreste e alto sertão.

Segundo informações da Sala de Situação de Tempo e Clima, na segunda-feira, 4, o índice da precipitação variou entre 5mm e 50mm. A maior precipitação foi registrada entre os municípios de Boquim e Lagarto, com precipitação entre 30 mm e 50 mm. Além disso, Sergipe registrou chuva de granizo nos municípios de Gararu, Ribeirópolis, Riachão do Dantas e algumas localidades de Poço Verde.

De acordo com o coordenador da Sala de Situação de Tempo e Clima da Semarh, Overland Amaral, a previsão é de que Sergipe continue sob a influência dessa massa de ar até o dia 12 de janeiro.  Nesta terça-feira, 5, as chuvas serão predominantes nas regiões sul, sudoeste, agreste e alto sertão, com previsão de incidência entre 5mm e 20mm, sobretudo nos municípios de Carira, Pinhão, Frei Paulo e Simão Dias.

 “Nos municípios entre da faixa agreste, compreendido entre Nossa Senhora das Dores, Capela, Aquidabã, Cedro e Propriá a estimativa de precipitação varia entre 5 mm e 10 mm. No llitoral a estimativa é de até 5 mm”, conta Overland.

O meteorologista ainda explica que para esta quarta-feira, 6., está previsto o aumento da incidência de chuvas nos municípios que fazem fronteira com a Bahia, podendo chegar aos 50mm. A partir do dia 7 passa a ter uma diminuição dos índices em todo Sergipe, podendo variar entre 1 mm e 5mm.

“Até o dia 12 a ocorrência das chuvas será de modo localizado e de diminuição. Depois dessa fase, passaremos por um novo período de estiagem, com previsão de aumento das temperaturas”, reforça Overland.

 


Fonte: Ascom Semarh