Sergipe

29/12/2015 às 09h19

Sem repasse de verbas, maternidade Santa Izabel já está fechada há três dias

Redação Portal A8

Gestantes que procuram a maternidade Santa Izabel não estão conseguindo atendimento. Fechada desde o último sábado, 27 de dezembro, a unidade hospitalar tem passado por uma crise financeira e por isso, suspendeu admissão de novas pacientes na maternidade.

Na recepção uma gestante com mais de 9 meses de gestação, já estava indo pela segunda vez na unidade, na tentativa de conseguir atendimento. Nessa segunda-feira (28), a mulher ficou esperando por quatro horas, até que desistiu, retornando hoje.

Com as portas fechadas as grávidas estavam sendo encaminhadas para a maternidade Nossa Senhora de Lourdes, que na noite de ontem já estava ficando lotada. Muitas grávidas chegaram a ficar mais de 10 horas esperando um atendimento, muitas foram embora sem passar por exames ou pelo médico.

De acordo com assessora de comunicação do Hospital Santa Izabel, Rafaela Rodrigues, a situação chegou a esse ponto por conta da falta de repasse, o que acabou gerando uma crise financeira. “Várias unidades estão sendo fechadas, não só a maternidade. Ontem vi o sofrimento das gestantes. Todos os procedimentos estão suspensos. Apenas essa noite que entramos em contato com a outra maternidade e estamos recebendo pacientes que estão sendo encaminhadas por lá para curetagem. Porque a gente não tem condições de fazer atendimento sem insumos”, lamentou a assessora.

Ainda segundo Rafaela, a crise é muito grande e o estoque está no limite. “Não temos como fazer atendimento normal, nossas cirurgias eletivas foram suspensas, já chegamos a fechar pediatria e urgência pediátrica por um dia. Se a gente não receber esse repasse de forma correta, pois as vezes fazem de forma irregular, infelizmente não temos como manter o Santa Izabel, só aqui são feitos quase 40% dos atendimentos a gestantes do estado, fora os estados vizinhos, é uma maternidade importante e a sociedade não pode perder essa instituição”, desabafou.

Caso o repasse não seja regularizado pela Secretaria Municipal de Saúde, a previsão é que também sejam suspensos os atendimentos nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI). “Não temos condições de comprar medicamentos, material hospitalar, o que temos de estoque é e função da compreensão dos fornecedores, pois chegou um tempo que a gente não tem condições de manter a maternidade aberta. A gestante chega explicamos a situação, seriamos irresponsáveis se recebêssemos as gravidas sem um álcool, sem medicamento e sem instrumento cirúrgico. E pedimos que procurem outra maternidade. ”, concluiu a assessoria.

De acordo com a diretora operacional da Fundação Hospitalar de Saúde, Márcia Guimarães, a maternidade Santa Izabel é contratada da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e segundo a direção da unidade de saúde, não há repasse desde outubro. “A gente tem um co-financiamento com a rede municipal para auxiliar e essa verba que sai da secretaria de estado para o município não está em atraso e inclusive, o valor que seria pago na próxima semana já foi liberado para fazer o aporte ao hospital Cirurgia e para o Santa Izabel. E o valor maior aportado é do Ministério da Saúde também está em dia e vai diretamente para a secretaria do município”, afirmou.

Nota

A Secretaria Municipal da Saúde esteve reunida nesta segunda-feira com a direção da Maternidade Santa Izabel para tratar sobre o repasse do Município e do Estado, para que os serviços ofertados à população sejam retomados. Ontem foi reaberta a Urgência Pediátrica e a parte obstétrica reabre hoje à tarde.