Sergipe

23/12/2015 às 13h42

Grupo reclama de ter sido impendido de entregar presentes para pacientes com câncer no Huse

Redação Portal A8

Nessa terça-feira (23) o grupo de mulheres da Legião Feminina de Educação e Combate ao Câncer foi impedido de entregar os kits de higiene e presentes para os pacientes com câncer no Hospital de Urgência de Sergipe (HUSE). O grupo faz esse trabalho há 52 anos e reclamou que esta foi a primeira vez que o fato aconteceu.

“Como já é tradicional para nós, durante todo o ano nos juntamos estes 50 kits de higiene e 40 caixas de brinquedos para serem doados aos pacientes, mas ao chegarmos no hospital fomos impedidas por uma gestora de entregar, explicamos para ela que este é um trabalho que fazemos há mais de 50 anos, mas ela afirmou que só seria permitido caso tivesse uma autorização, e poderíamos deixar lá para eles entregarem, mas para nós era importante fazer esta entrega”, lamentou uma das mulheres do grupo, Idalina Martinez.

Ela ainda explicou que depois de serem impedidos, resolveram levar os presentes para outras instituições. “O nosso desejo sempre foi de ajudar os pacientes com câncer do Huse porque sabemos da necessidade deles, mas infelizmente este ano não foi possível, emtão levamos os kits para a Avosos e para o Gaac”.

Nota

O Centro de Oncologia do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), informa que está aberta a receber os presentes, desde que seja comunicado previamente para poder organizar as crianças que vão receber e as pacientes internadas que estão aptas a receberem visitas.

A coordenadora assistencial da unidade, Meire Jane Oliveira, explica que muitas crianças internadas estão com imunidade baixa e de acordo com o Centro de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) do Huse, determina que contatos com pessoas externas sejam evitados para não agravar o quadro de recuperação do paciente, seja ele adulto ou infantil, além de controlar o risco de infecção hospital.

Ela explica ainda que os voluntários são os principais parceiros da Oncologia e são sempre muito bem-vindos. Esse foi um caso isolado em que o próprio grupo se recusou a deixar os presentes para serem entregues, não quiseram marcar outra data e não quiseram respeitar as normas da unidade para manter a segurança do paciente.