Sergipe

21/12/2015 às 09h30

Manifestantes protestam contra alto índice de impostos e cobram melhorias nos serviços públicos

Redação Portal A8

Representantes do comércio, alunos e diretores de uma faculdade particular localizada no bairro Coroa do meio, realizaram uma manifestação em frente a unidade educacional, na manhã desta segunda-feira (21). O protesto foi motivado pela alta carga tributária paga pelos contribuintes nos últimos meses. O Impostômetro, ferramenta que contabiliza em tempo real os impostos, já soma mais de R$ 2 trilhões de reais.

De acordo com o diretor da faculdade, Wagner Soares, a manifestação tem como objetivo alertar a sociedade quanto a quantidade abusiva de impostos cobrados pelo governo.  “Estaremos nos semáforos, com nariz de palhaço, apito, entregando material de divulgação para alertar a população sobre a alta carga tributária. Os impostos vêm alcançando um número absurdo. Queremos alertar para a sociedade a quantidade alta de impostos que pagamos, da alta taxa tributaria que nós temos. Estamos batendo recorde de 2 trilhões ainda este ano e queremos chamar a atenção sobre a importância disso. Para onde está indo esses recursos?”, afirma.

Os manifestantes questionam a aplicação dos impostos arrecadados pelo governo. Eles acreditam que os tributos não estão sendo usados adequadamente. “Se eles estivessem utilizando os recursos com corretamente, estaríamos proporcionando a população, melhor índice desenvolvimento humano, melhor qualidade de vida, bem-estar, acesso a diversos serviços que são prestados pelo setor público. Mas não é isso que estamos vendo. O problema não é o montante arrecadado, o problema é ver esse dinheiro sem retorno para a população”, destaca o diretor educacional.

Comerciantes e empresários também participaram do protesto. Eles estão insatisfeitos com o declínio e desaquecimento do comércio e da indústria com a alta dos impostos. “O comércio, o turismo, as indústrias estão passando por momentos difíceis. São bares e restaurantes sem movimento, lojas fechando, são demissões constantes, e essas demissões não são boas para ninguém. O empresário não quer demitir, ele quer contratar, ampliar, aumentar o seu negócio. Mas infelizmente, com os impostos lá no alto fica difícil porque custa muito no bolso não só da população, mas como do empresariado também”, ressalta o empresário, Alexandre Wendel.

Os protestantes ainda afirmam que 50% do valor de muitos produtos são de taxas de impostos. “É um absurdo você pagar mais da metade do valor de um produto só de impostos. O governo aperta as contas deles e a primeira medida é aumentar os tributos.  Queremos mais transparência e mais responsabilidade com dinheiro gasto pelo governo”, conclui Alexandre.