Sergipe

18/12/2015 às 10h07

Vigilantes do Cenam e Usip paralisam as atividades por falta de pagamento

Redação Portal A8

Vigilantes do Centro de Atendimento ao Menor (Cenam), Unidade Socioeducativa de Internação Provisória (Usip) e da sede da Fundação Renascer, estão paralisados há três dias por conta do atraso nos salários.

De acordo com o assessor de comunicação do sindicato dos vigilantes, Hélio Rocha, a paralisação continua até que os salários sejam depositados. “Procuramos a empresa, a Fundação e não tivemos resposta. A empresa diz que há três meses a fundação não paga e por isso não pode pagar”, relatou.

Ao todo, 100 vigilantes estão parados, o que causa transtornos no quadro de pessoal das Unidades. “Nós ficamos no monitoramento e na portaria, agora vão ter que reduzir o quadro de agente, que já são poucos e vai ficar menor, então coloca em risco a vida dos trabalhadores”, alertou Hélio Rocha.

Os trabalhadores também reclamam do atraso no tíquete de alimentação e na primeira parcela do 13º salário. O assessor também afirmou que os vigilantes que trabalham na Funese também vão paralisar nos próximos dias, pois a Fundação Hospitalar de Sergipe (FHS) também não repassou o dinheiro para a empresa responsável.

De acordo com o presidente da Fundação Renascer, Welington Mangueira, no contrato firmado entre a empresa e a Fundação Renascer, está previsto o pagamento da folha de funcionários mesmo em casos de atraso no repasse. “O estado firmou contrato com a Brava e pelo contrato, ela demostrou capacidade econômica e financeira para em momentos como este honrar os compromissos, por força do contrato, mesmo que o estado atrase até três meses, a empresa deve continuar arcando com os pagamentos”, contou o presidente que ressaltou. “Realmente há um atraso dos meses de outubro e novembro, mas dezembro ainda não terminou. Entendo o momento de crise que repercute no país e acaba atingindo a empresa, mas há esse compromisso, pelo contrato a empresa mostrou capacidade de honrar”.