Sergipe

15/12/2015 às 14h33

Polícia detalha investigação que culminou na prisão de 11 pessoas acusadas de roubo de carga na BR 101

Redação Portal A8

Foto: Portal A8SE
No final da manhã desta terça-feira (15) a Polícia Federal (PF), juntamente com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), esclareceu durante uma coletiva as investigações que culminaram na operação “Subida da Torre”, que desarticulou uma quadrilha especializada em roubo de carga na BR 101, na divisa entre Sergipe e Bahia.

De acordo com o delegado da Polícia Federal, Márcio Alberto, há um trecho da rodovia, no município de Rio Rela (BA), onde os motoristas são obrigados a trafegar em baixa velocidade, era nesse momento que os assaltantes aproveitavam para fazer a abordagem. “Eles rendiam os caminhoneiros, levavam para uma estrada vicinal e roubavam a carga”, contou o delegado.

Foto: Portal A8SE

A quadrilha atuava assaltando caminhoneiros na região das cidades de Cristinápolis, Rio Real e Esplanada. “Após renderem os motoristas, eles colocavam a carga em um outro caminhão e agiam aleatoriamente, só depois que rendiam os caminhoneiros é que eles verificavam do que se tratava a carga e procuravam o intermediário para encontrar o receptador adequado. Esses compradores pagavam mais barato pelos produtos para expandir o lucro no comércio”, explicou o delegado Márcio Alberto.

Segundo a polícia, as investigações tiveram início há cerca de seis meses e neste período, mais de dez assaltos foram detectados. Destes eventos, em seis deles todos os envolvidos foram identificados e estão sendo chamados a responsabilidade. O delegado da Polícia Federal também lamentou a punição para este tipo de crime. “Infelizmente o crime de receptação tem uma pena muito baixa e são penalizadas de forma branda, é por isso que voltam a atuar”.

O inspetor da PRF, Robson Feitosa, explicou que a Polícia Rodoviária vem fazendo levantamento desde outubro de 2014. “O trabalho começou por conta do aumento da incidência de assaltos a caminhoneiros. Durante esse período também identificamos que houve situação de sequestro e roubo da carga e que em algumas situações, havia a participação de caminhoneiros, que eram aliciados para facilitar o roubo da carga. Eram caminhoneiros de várias regiões e das cargas mais variadas”, relatou.

Para o superintendente da Polícia Federal em Sergipe, José Givaldo de Andrade, as prisões de hoje foram apenas o início do trabalho. “Vamos agora em busca dos que tem maior lucro nas operações. Em Sergipe identificamos comerciantes nas cidades de Tobias Barreto e Itabaiana, mas tem várias cidades. Alguns comerciantes foram identificados, mas estamos no início, são cargas de alto valor, então devem ser comerciantes com poder aquisitivo maior. A investigação mais importante começa agora. Alguns mandos de prisão ainda serão cumpridos”, revelou o superintendente. O comerciante identificado foi da cidade de Itabaiana, mas a polícia não revelou de que ramo se tratava.

“Vamos agora buscar os bens decorrentes dos lucros destas ações criminosas, a operação foi o preparo do terreno, agora vamos começar o plantio nesse terreno arado, que será a investigação para identificar os receptadores e as colheitas serão as prisões desses compradores e a apreensão dos bens”, destacou o superintendente que concluiu. “O trabalho continuará com apoio da PRF para diminuir esses crimes, embora a intensão seja de acabar, vamos trabalhar para diminuir a incidência dos roubadores e agora vamos investigar mais detalhadamente os receptadores”, finalizou.

Em uma das tentativas de assalto os bandidos deflagraram disparos contra o caminhão, que chegou a tombar e o motorista faleceu em decorrência do acidente. Houve um morto também entre os suspeitos, em um enfrentamento com uma empresa transportadora.