Sergipe

07/12/2015 às 11h02

Paciente reclama de falhas no sistema de marcação de exames do SUS

Redação Portal A8

O paciente, Marcos Antônio Gomes, está insatisfeito com o sistema de marcação de exames do Sistema Único de Saúde (SUS), nos postos de saúde de Aracaju. Ele foi até a Secretaria de Saúde Municipal, na manhã desta segunda-feira (7), para reclamar da situação.

De acordo com Marcos, ele deixou de realizar um exame por causa de uma falha no sistema. “Eu fui no posto Sinhazinha, na sexta-feira, dia 4, e marquei um exame. Toda vez que o exame é aprovado a gente recebe a confirmação com o número de protocolo através de mensagem de celular. Às 15h, da mesma sexta-feira, eu recebi essa mensagem confirmando a marcação do exame para manhã do dia seguinte. Às 16h, ainda da sexta-feira, eu retornei para o posto de saúde para pegar o guia de autorização, que é um documento obrigatório para ser apresentado no local onde você vai fazer o exame, só que quando cheguei lá disseram que o sistema de emissão de guia só funciona até às 12h. Agora, é aquela questão, como é que a mensagem só vai chegar às 15h, sendo que o sistema só funciona até às 12h? Deveria ter chegado antes de 12h para dar tempo de a pessoa ir no posto solicitar o guia” conta.

Marcos diz que, no dia seguinte, foi ao posto em busca da guia, e ao chegar lá, ficou sabendo que o exame marcado era referente a próstata. “Esse exame tem que ficar três dias sem ter relações sexuais e três sem andar de bicicleta. Eu só ando de bicicleta e quando eu fui olhar o exame marcado, era o de próstata. Ou seja, não tive como fazer o exame. E outra, eles marcaram muito em cima, sem saber se a pessoa estava nessas condições exigidas para fazer o exame”, reclama.

O paciente também denuncia que já chegaram mensagens de confirmação de exames no nome de outra pessoa. “Chega direto para mim, no meu celular, confirmação de exames que não são meus, com o nome de outro paciente. Eu já liguei para ouvidoria para reclamar, mas não tomaram providencias. É muito fácil as autoridades falarem que a população não comparece aos exames marcados, quando não sabe da real situação. Eles não param para ouvir a resposta dos pacientes”, conclui Marcos.