Sergipe

05/12/2015 às 09h19

Morre aos 72 anos a atriz Marília Pêra

Redação Portal A8

Morreu, às 6h da manhã deste sábado (5), a atriz Marília Pêra. Ela estava em sua casa, no Rio de Janeiro. A causa da morte não foi divulgada.

No último ano, o estado de saúde de Marília ficou bastante fragilizado. Ela chegou a se afastar do trabalho para tratar um desgaste ósseo e, no último mês, surgiu a notícia de que ela estava com câncer em estágio avançado no pulmão.

O último trabalho da atriz na TV foi na série Pé na Cova, na qual contracenava ao lado do amigo Miguel Falabella.

Aos 72 anos, Marília Pêra fez história como uma das atrizes mais completas do Brasil, trabalhando também cantora, bailarina e diretora.

Vida e carreira

Marília Pêra nasceu em 22 de janeiro de 1943, no Rio de Janeiro, no seio de uma família de artistas, verdadeiros operários do teatro desde o fim dos anos 30.
A primeira da família a atuar foi Antônia Marzullo, que levou as filhas para os palcos: Dinah e Dinorah. Envolvidas com o universo do teatro, as duas se casaram, respectivamente, com o escritor Nestor Tangerini e com o ator Manuel Pêra. Do relacionamento de Dinorah e Manuel nasceram Marília e Sandra, que seguiram a tradição familiar e também se tornaram atrizes.

A estreia de Marília Pêra nos palcos não poderia ser mais precoce. Ela se deu embalada no colo de uma atriz, amiga de sua mãe, quando Marília tinha menos de 20 dias de vida. Era preciso um bebê para a cena e, nesse momento, surgia a grande estrela dos palcos brasileiros.

Aos quatro anos, a atriz já trabalhava na companhia de Henriette Morineau e fez sua estreia em Medeia, de Eurípedes, interpretando uma das filhas da personagem principal.

Ainda criança, Marília começou a estudar piano e balé por incentivo do pai que, sabendo das dificuldades da carreira de ator, ainda tentava evitar que a filha seguisse pelo mesmo caminho. Por conta disso, ela chegou a dançar em musicais como My Fair Lady (1962), protagonizado por Bibi Ferreira, e O Teu Cabelo Não Nega (1963), interpretando um dos papéis que repetiria ao longo da carreira: Carmen Miranda. Também chegou a se apresentar como dançarina na TV Tupi.

O primeiro marido de Marília foi o ator Paulo Cesar da Graça Mello (1940-1969). Do relacionamento, nasceu o primeiro filho da atriz, Ricardo Cesar da Graça Mello, que é ator e músico. Quando se separou, foi contratada pelo diretor Abdon Torres, em 1965, para fazer parte do primeiro elenco da Globo e já começou como protagonista, em Rosinha do Sobrado.

A partir de então, Marília se tornou uma das artistas mais respeitadas do Brasil, passando por várias emissoras. Atuou em Beto Rockfeller, na TV Tupi, Uma Rosa com Amor, Malu Mulher, Brega & Chique, Primo Basílio, Rainha da Sucata, Meu Bem Querer, Os Maias, entre outras, todas na TV Globo, O Campeão, na TV Bandeirantes e, ainda, Mandacaru, na TV Manchete.

Em O Primo Basílio, de 1988, adaptação de Gilberto Braga e Leonor Brassères de Eça de Queiroz, a atriz encarou um dos trabalhos mais difíceis e elogiados de sua carreira, a implacável Juliana.

Marília também colecionou interpretações de personagens icônicos como a já mencionada Carmen Miranda, que voltou a imitar em A Pequena Notável (1966), A Tribute to Carmen Miranda, no Lincoln Center, em Nova York (1975), A Pêra da Carmen (2005) e Marília Pêra Canta Carmen Miranda (2005). Ela também já encarnou Dalva de Oliveira, Maria Callas, Coco Chanel e Sarah Kubitschek.

No cinema fez filmes de Cacá Diegues como Dias Melhores Virão e Tieta do Agreste, mas também atuou em Central do Brasil, O Viajante, Bar Esperança e Polaroides Urbanas, com o amigo Miguel Falabella. Pixote, de Hector Babenco, também é um dos títulos que fazem parte da história da atriz.

Marília Pêra também é escritora e diretora de teatros e shows. Desde 2013, atuava no seriado Pé na Cova, da Globo, como Darlene. No Carnaval de 2014, ganhou uma homenagem da escola de samba Mocidade Alegre, em São Paulo. O samba-enredo Nos Palcos da Vida... Uma Vida no Palco: Marília rendeu o vice-campeonato para a agremiação paulistana, que só perdeu para a Vai-Vai, que no mesmo ano homenageava a cantora Elis Regina.

A atriz também é mãe de Esperança e Nina Morena, que são frutos do segundo casamento, com o jornalista e compositor Nelson Motta. Desde 1998 estava casada com o economista Bruno Faria.