Sergipe

04/12/2015 às 16h59

Sobe para 100 o número de casos notificados de microcefalia em Sergipe

Redação Portal A8

Na tarde desta sexta-feira (4) a Secretaria de Estado da Saúde de Sergipe enviou nota apresentado os dados atuais dos casos de microcefalia no Estado. Em 2015, o número de casos notificados no Estado subiu para 100. Na última terça-feira (1º) o governador Jackson Barreto decretou situação de emergência na saúde pública em Sergipe por conta do número de casos da doença.

De acordo com a nota, até o dia 04/12/2015, foram notificados 100 casos de microcefalia no estado, sendo 98 notificados em 8 (oito) maternidades sergipanas e dois em maternidades de outros estados (Minas Gerais e Alagoas).

A notificação dos casos de recém-nascidos com microcefalia tornou-se compulsória a partir da declaração de ESPIN em 11 de novembro de 2015, desta forma os profissionais devem notificar dentro de 24 horas após a identificação do caso.

Orientações Gerais

  • Considerando a possibilidade de associação da microcefalia com doenças infecciosas, ou outras causas, recomenda-se aos serviços e profissionais de saúde que informem a todas as gestantes e mulheres em idade fértil, com possibilidade de engravidar, que:
    • É importante a atualização das vacinas de acordo com o calendário vacinal do Programa Nacional de Imunização do Ministério da Saúde:
    • Evitar a automedicação pois alguns medicamentos podem causar danos ao feto durante a gestação;
    • Necessidade de atenção sobre a natureza e a qualidade daquilo que se ingere (água, alimentos, medicamentos), consome ou tem contato, e o potencial desses produtos afetarem o desenvolvimento do bebê.
    • Durante a gestação é necessário proteger-se das picadas de insetos, para isso, é importante:
     Evitar horários e lugares com presença de mosquitos;
     Sempre que possível utilize roupas que protejam partes expostas do corpo;
     Consulte o médico sobre o uso de repelentes e verifique atentamente no rótulo a concentração do repelente e definição da frequência do uso para gestantes;
     Permanecer, principalmente, no período entre o anoitecer e o amanhecer, em locais com barreiras para entrada de insetos como: telas de proteção, mosquiteiros, ar-condicionado ou outras disponíveis.
     Se houver qualquer alteração no seu estado de saúde, principalmente no período até o 4º mês de gestação, ou na persistência de doença pré-existente nessa fase, comunique o fato aos profissionais de saúde (médicos obstetras, médico ultrassonografista e demais componentes da equipe de saúde) para que tomem as devidas providências para acompanhamento da gestação