Sergipe

30/11/2015 às 14h34

Microcefalia: reunião é realizada no MPE para discutirmos providências a serem tomadas no estado

Redação Portal A8

Uma reunião realizada na manhã desta segunda-feira (30) no Ministério Público Estadual (MPE) discutiu as providências a serem tomadas no estado em relação a microcefalia. Na ocasião, ficou marcada uma reunião no Palácio dos Despachos com o secretário de saúde e o governador, Jackson Barreto, para declarar situação de emergência no estado em relação à doença.

De acordo com o promotor da saúde do Ministério Público, Antônio Fortes, a recomendação do estado de emergência em Sergipe é para permitir uma ação mais rápida, uma ação mais enérgica, com contratações temporárias. “Infelizmente essa medida ainda não foi feita, queríamos que o estado arregaçasse as mangas, fizesse o alarde que a situação merece, porque já é uma epidemia, tecnicamente já é epidemia. Caminhando ara 80 casos. Pessoas que nascem com dependência a vida inteira, de alguém da família, da sociedade, do estado, deficiência mental”, afirmou.

Na reunião o promotor, também falou sobre a confirmação da relação entre o vírus Zica e os casos de crianças que nascem com microcefalia. “Já se tem noção que é o mosquito que transmite a Zica e consequente transite a microcefalia. Luta contra a proliferação do mosquito”.

O superintende da maternidade Nossa Senhora de Lourdes, Luiz Eduardo Prado, também esteve no MPE e destacou que há 15 dias esteve no local para tratar desse problema e medidas estavam sendo realizadas, nas maternidades, pelas prefeituras e pelo Estado. “Na reunião de amanhã terá a secretaria de saúde, secretários municipais com a presença do governador. Para que possamos tratar da assistência desses pacientes, combater a proliferação do mosquito. A ação deve ser de prevenção, matar o mosquito é uma questão de saúde sanitária”.

 A doença

O Ministério da Saúde anunciou hoje (30) que investiga seis casos de mortes de crianças com microcefalia, supostamente relacionadas ao vírus zika. No sábado, o ministério confirmou a relação entre o vírus e casos de microcefalia, que aumentaram significativamente no país. Exames feitos em um bebê nascido no Ceará com microcefalia e outras malformações congênitas revelaram a presença do vírus em amostras de sangue e tecidos.

De acordo com o diretor do Departamento de Vigilância de Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde, Cláudio Maierovitch, o país tem 1.248 casos de microcefalia notificados, em 311 municípios, de 14 unidades da federação. O estado de Pernambuco registra o maior número de casos (646), sendo o primeiro a identificar o aumento de diagnóstico de microcefalia na região. Em seguida, estão os estados da Paraíba (248), Rio Grande do Norte (79), Sergipe (77), Alagoas (59), Bahia (37), Piauí (36), Ceará (25), Rio de Janeiro (13), Tocantis (12), Maranhão (12), Goiás (2), Mato Grosso do Sul (1) e Distrito Federal (1).