Sergipe

30/11/2015 às 10h31

Após denúncias da população, Defesa Civil faz vistoria em estrutura de antigo prédio do INSS

Redação Portal A8

Transeuntes que passam pela fachada do antigo prédio do INSS, localizado no centro de Aracaju, estão receosos quanto a situação da estrutura da edificação. O taxista, Eliton Nascimento, é um deles. Por trabalhar nas proximidades do prédio, ele relata que já testemunhou mais de uma vez, pedaços das pastilhas que reveste a parede caírem na calçada.

O taxista conta que as pessoas estão com medo de passar por baixo do prédio. “Faz muito medo. Eu já vi várias vezes pedrinhas caírem-no chão. Se atingir a cabeça de alguém com certeza vai ter algum ferimento. Eu, transitando por aqui já presenciei várias vezes, por vários dias, as pastilhas caindo. O pessoal está com medo do que o pior aconteça, até porque ali é um espaço de grande circulação”, afirma.

Após frequentes denúncias e reclamações, a Defesa Civil Estadual com apoio do Corpo de Bombeiros realizou uma vistoria no prédio, nesse último domingo (29). Durante a ocasião, o Corpo de Bombeiros chegou a fazer um isolamento no entorno da unidade.  Tapumes foram instalados para evitar que possíveis acidentes aconteçam.

“Com o isolamento, pode ser que diminua a possibilidade de atingir alguém, mas com o vento forte, pode ser que alguma parte da estrutura venha a cair”, diz o taxista, Eliton.

De acordo com o coronel Mendes, da Defesa Civil, a vistoria for direcionada apenas para a parte externa do prédio. “Fomos até o local e constatamos que a situação denunciada pela população é verídica. Fizemos o isolamento para que as pessoas que passam por ali não sejam atingidas. Por mais que as partículas que caem sejam pequenas, como o prédio é alto, cai com determinada velocidade e força que pode acarretar em um ferimento se cair diante de alguém. A medida emergencial foi fazer o isolamento, mas como o prédio será vendido, é necessário que o futuro proprietário reforme a estrutura. Se demorar muito para vender, eventualmente, iremos cobrar novas providências”, comenta.

A Defesa Civil ainda reforçou que a estrutura não traz nenhum risco de desabamento. “Há alguns anos atrás foi realizada uma vistoria completa no prédio e constatamos que, apesar do prédio não ter risco de desabamento, ele apresentava grande risco de curto-circuito devido a situação precária das instalações elétricas. Por isso, na época, decidimos interditar o prédio”, conclui Mendes.