Sergipe

27/11/2015 às 11h06

Funcionário de empresa terceirizada da Petrobrás reclama de atrasos de salários

Redação Portal A8

Um funcionário de uma empresa que presta serviços à Petrobras foi demitido e está insatisfeito com atrasos de salários, além da ausência de pagamento de direitos trabalhistas.

De acordo com o trabalhador, a empresa MBras encerrou, no início de novembro, a obra de linhas de dutos entre os municípios de Siriri e Riachuelo. Desde então, cerca de 100 funcionários foram demitidos. Nenhum recebeu o salário referente ao mês de outubro e nem o valor da rescisão contratual.

“A empresa abandonou o serviço porque não estava conseguindo pagar os funcionários e nem de desenvolver a obra. Até o mês de setembro pagaram certo, depois não pagaram o mês de outubro e nem os dias trabalhados referentes ao mês de novembro. Também saímos sem receber férias e décimo proporcional, além do valor da rescisão”, comenta o ex-funcionário.

O ex-funcionário diz que a MBras não é a única empresa a encerrar os serviços prestados a Petrobrás em Sergipe. Ele afirma que a situação é recorrente. “Nós não somos os primeiros a sofrer com isso. A Petrobrás está dificultando a vida das empresas terceirizadas, e isso acaba penalizando os trabalhadores. Eles criam muitos obstáculos para a execução na obra, e acaba que as empresas não conseguem desenvolver o serviço e acabam abandonando a obra”, destaca.

O trabalhador afirma que o sindicato da categoria sugeriu a solicitação do Ministério Público para que o problema seja resolvido. No entanto, diante da burocracia, ele faz um apelo para que a Petrobrás se posicione e cumpra os direitos trabalhistas. “Eu acredito que é a Petrobrás que faz o repasse do dinheiro para a empresa, e se a empresa está sem receber, não deve ser por falta de dinheiro da Petrobrás. Então, a Petrobrás deveria nos procurar e sugerir um acordo. Seria bom para todo mundo. Porque quem sofre mais que a empresa terceirizada é os trabalhadores que não podem honrar os compromissos”, conclui.