Sergipe

24/11/2015 às 10h42

Subvenções: presos em operação policial são encaminhados para a Delegacia Plantonista

Redação Portal A8

As cinco pessoas presas durante operação da Polícia Civil na manhã desta terça-feira (24), foram ouvidas pela delegada Daniele Garcia, na Delegacia Plantonista. A polícia cumpriu mandados de prisão, busca e apreensão em decorrência das investigações do escândalo das verbas de subvenção da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese).

O foco principal do inquérito é a Associação Sergipana de Produtores de Eventos (Aspe), que de acordo com as investigações, teria recebido verbas da Alese. Quatro mandados de prisão foram cumpridos pela polícia. Edvânia Menezes, Uilson Felix de Farias, Márcio José Goes e Alessandra Santos Menezes foram levados até a delegacia suspeitos de envolvimento com o esquema. Thiago Farias também foi detido por possuir empresas em seu nome. Não houve reação às prisões. 

Segundo a delegada Daniele Garcia, o empresário, Uilson Farias, era o mentor do esquema e os outros presos eram intermediários nas transações fraudulentas. “Nós prendemos quatro pessoas da ASPE. Uilson, Alessandra, Edvânia e Márcio José Gois. Eles recebem verbas da Alese desde 2011. Wilson seria o mentor, os outros são laranjas, mas como concordaram participar vão ter que dar explicações. Ainda estamos em operação existem buscas sendo realizadas. As pessoas estão sendo ouvidas, algumas pessoas ainda não chegaram. Podem ocorrer novas prisões”, afirma a delegada.

No final da manhã foi preso André Santos Almeida, que é funcionários de Uilson Felix, em uma das empresas. 

De acordo com o promotor, Henrique Cardoso, o dinheiro movimentado no esquema varia entre dois a três milhões de reais. “As empresas investigadas são de fachada e elas não só recebiam verbas de subvenção, mas como também dinheiro de prefeituras”.

O delegado da Polícia Civil, Jonatas Evangelista, comandou a operação no bairro Coroa do Meio, onde é sediada a ASPE, desde as primeiras horas da manhã desta terça-feira. O Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) foi designado a prestar apoio à polícia no cumprimento dos mandados de prisão.

O delegado, Jonatas, conta como foi realizada a logística da operação. “Desde a noite desta segunda-feira estamos monitorando os imóveis onde seriam realizadas as buscas. Hoje, por volta das 5h, as equipes já estavam nos locais. Na operação, achamos documentos relacionados a algumas empresas como também veículos, dinheiro e bens. Inicialmente, seriam cumpridos quatro mandados de prisão, mas o Thiago, que é filho do Wilson, também foi preso por possuir empresas no seu nome. Entendemos que ele deveria ser conduzido para a delegacia para prestas esclarecimentos”, diz.

Os presos estão custodiados na Delegacia Plantonista. Nossa equipe entrou em contato com o advogado de Alessandra, Lucas Rigonato, que contou que irá entrar com pedido de revogação da prisão preventiva de sua cliente. Todos os presos se reservaram no direito de só responder em juízo.

Veja o momento em que os presos são conduzidos à Delegacia Plantonista: 

 


Imagens
  • Carros apreendidos pela PC
  • Uma das mulheres presas na manhã desta terça
  • Documentos apreendidos na operação