Sergipe

23/11/2015 às 10h00

Sergipe registra melhor PIB per capita do Nordeste

ASN

Sergipe obteve PIB per capita (Produto Interno Bruto por pessoa) de R$ 16.028,28, o melhor do Nordeste, segundo dados divulgados nesta quarta-feira, 19, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Sergipe ficou à frente mesmo dos grandes estados da região como Bahia, Pernambuco e Ceará. Em segundo lugar ficou o Rio Grande do Norte e em terceiro, Pernambuco. Sergipe também superou a média da região Nordeste, que foi de R$ 12.954,80, em mais de 23%.  Os dados são referentes a 2013. O PIB per capita representa a distribuição de riquezas produzidas no estado dividida pelos 2.195.662 habitantes sergipanos (população em 2013 em Sergipe, de acordo com o IBGE).

O governador Jackson Barreto comemorou o resultado destacando que , com todas dificuldades, Sergipe continua gerando emprego e renda. “Temos políticas econômicas sólidas e um empresariado corajoso, ousado, que acredita no estado. Mantemos a geração de emprego e a atração de novos investimentos públicos e privados”. Segundo o economista Ricardo Lacerda, três fatores são fundamentais para o destaque de Sergipe em relação aos demais estados nordestinos: as riquezas minerais, a distribuição de terras agrícolas e as políticas públicas adotadas pelo Estado nos últimos anos. “Temos importantes reservas minerais, como calcário, potássio e petróleo, que resultam em uma indústria mineral bem mais forte no nosso estado.

A distribuição das terras agrícolas em Sergipe também são menos concentradas do que nos demais estados. Além disso, é fundamental o papel das políticas desenvolvidas pelo Estado, como a atração de investimentos e empresas, investimento em infraestrutura rodoviária e em escolas profissionalizantes, assim como a injeção de recursos na economia, através da administração pública”, explica Lacerda.

Atração de indústrias e geração de empregos

A gestão estadual investe na interiorização do desenvolvimento para gerar emprego e renda e promover uma distribuição de riquezas de forma mais igualitária entre os territórios sergipanos. Em setembro, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho, Sergipe foi o quarto estado no país a contratar mais profissionais com carteira assinada, sendo a atividade agropecuária a que concentra o maior número de novos trabalhadores, totalizando 1.598. Outro setor que vem gerando empregos em Sergipe é o turismo, responsável por proporcionar mais de mil oportunidades de trabalho nos últimos 12 meses.

Além do crescimento do número de empregos, Sergipe registrou aumento na abertura de empresas. Só este ano, já foram aprovados 35 novos empreendimentos que, juntos, proporcionarão R$ 84,4 milhões em investimentos e aproximadamente 1.000 novos empregos. Os números mostram o dinamismo da economia do estado, que diversificou seu parque industrial, interiorizou as plantas industriais e implantou centros empresariais para fomentar o desenvolvimento regional.  

O crescimento industrial de Sergipe é comprovado também pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Estudo organizado pela CNI destaca o estado como a segunda unidade da federação com maior proporção de grandes empresas industriais no Brasil, ficando atrás somente do Amazonas. “Sergipe oferece ao mundo empresarial um estado muito bem organizado, onde as coisas funcionam bem e as instituições funcionam harmoniosamente. Esse ambiente favorável faz com que cada vez mais os empresários procurem por Sergipe para instalar seus empreendimentos. Todas essas vertentes permanecem e avançam, fazendo com que o estado mantenha essa posição de liderança na nossa região”, resume o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia, Chico Dantas.


Fonte: ASN