Sergipe

18/11/2015 às 07h35

Amigos e familiares velam sargento da PM que morreu durante tentativa de assalto no bairro Suissa

Redação Portal A8

Foto: Portal A8SE

 

Amigos e familiares velaram o corpo do sargento da polícia Militar, Silvio Diógenes dos Santos, 48 anos, na manhã desta quarta-feira (18). O policial foi morto na noite desta terça-feira (17), durante uma tentativa de assalto em um bar localizado na avenida Edésio Vieira de Melo, no bairro Suissa.

Segundo familiares, o sargento Silvio Diógenes dos Santos, 46 anos saiu da casa da mãe, que fica do outro lado da rua, acompanhado do filho, para assistir a uma partida de futebol.

De acordo com testemunhas, os suspeitos pararam o carro e cruzaram a rua, ao chegarem ao bar, anunciaram o assalto. Ao ser identificado como o policial, o sargento teria reagido e foi baleado. Os disparos acertaram a perna, a coxa e as costas do sargento. Um dos tiros atingiu a veia femoral e ele não resistiu.

O colega de trabalho, Altemar Souza, lamentou a perda de Silvio. “É com muito pesar e tristeza que velo meu amigo. Era uma pessoa boa, do bem. As palavras nem saem como a gente quer. Eu acho que temos que dar um basta nisso, estou muito revoltado, em ver uma situação de um pai de família, acontecer isso, estava assistindo futebol de repente chega um meliante e acontece isso. A gente se sente ameaçado com tanta violência”, afirma.

O sargento Silvio era o mais novo de uma família de 12 irmãos. Um deles o vereador e médico Manoel Marcos dos Santos. A filha do vereador, Marcela Santana, pede que providências sejam tomadas pelas autoridades e que a justiça seja feita. “Perdemos uma pessoa muito querida, um pai de família que estava no momento assistindo o jogo. Isso o que fizeram foi uma covardia. Eu quero que a justiça seja feita. Que tomem providências o mais rápido possível. A falta de segurança está demais”, diz.

O filho do PM que estava no bar, também foi atingido, mas foi socorrido pelo Samu. Ele sofreu uma fratura exposta no antebraço, passou por uma cirurgia e passa bem. “O estado de saúde dele é estável. Ele está melhor. O pai tentou proteger o filho é acabou nessa situação. É uma dor horrível para a família”, conclui Marcela.