Sergipe

06/11/2015 às 08h11

Condutores de ambulância do Samu iniciam greve e pedem oficialização de acordo

Redação Portal A8

Os Condutores de Ambulância do Estado de Sergipe iniciaram uma nova greve na manhã desta sexta-feira (6). Os servidores estão reunidos na base do SAMU, localizada próxima ao HUSE, onde se manifestam para pedir a legalização de um acordo firmado entre a categoria e o governo de Sergipe, no ano de 2014.


De acordo com o sindicato, as cláusulas do acordo estão sendo cumpridas, no entanto, o Tribunal de Contas de Sergipe (TCE) exige a legalização do tratado entre as partes. Uma das garantias acordadas entre o governo e a categoria é a redução de carga horária de 36h para 24h.


“Eu fui no dia 3 de agosto para uma reunião com o vice-governador, Belivaldo Chagas, ele disse que queria resolver, mas até então, nada foi resolvido. Esse acordo está sendo solicitado pelo TCE e pode perder a legalidade. Uma das cláusulas que não estão sendo cumpridas é a redução de carga horária. Houve uma fiscalização que foi feita e foi constato que esse acordo foi feito de forma incorreta porque não oficializou”, disse Adilson Ferreira, presidente do Sindicato dos Condutores de Ambulância do Estado de Sergipe.


O sindicato da categoria irá se reunir com o conselheiro, Clóvis Barbosa, no Tribunal de Contas de Sergipe (TCE), ainda na manhã desta sexta-feira. A intenção dos servidores é pedir apoio ao órgão para que o governo assine a oficialização do acordo e garanta os direitos dos trabalhadores. “Nós estamos com a expectativa de resolver essa pendência há 4 meses, mas o governo não está dando importância. Queremos que a situação dos servidores da Secretaria da Saúde se resolva, no sentido de que a gratificação se incorpore ao salário, e que a nossa carga horária de 24h sega garantida. Iremos no TCE pedir um apoio de Clóvis e que ele consiga chegar a um entendimento. Tem também a questão da lei, que o próprio tribunal solicita, para a oficialização do acordo entre a categoria e o governo. Então, ele vai nos orientar como conduzir essa situação”, afirma o presidente do Sintasa, Augusto Couto.


Os condutores de ambulância do SAMU também terão uma audiência ainda na manhã desta sexta-feira (6), no Ministério Público Estadual com a promotoria de saúde. O objetivo da reunião é tentar um acordo com a categoria para que a greve seja suspensa. A intenção é convencer o governo de Sergipe a atender as reivindicações dos servidores.