Sergipe

05/11/2015 às 11h48

Petroleiros: 95% dos funcionários da unidade SE/AL já aderiram à greve

Redação Portal A8

Em greve há 7 dias, os petroleiros de Sergipe continuam aderindo a paralisação nacional. Na manhã desta quinta-feira (05), eles se reuniram em um ato em frente à sede da Petrobras, na rua Acre.

De acordo com Bruno Dantas, diretor do Sindipetro, a adesão já chegou em 95% e as áreas operacionais do campo de Jordão, Siriri e Riachuelo já paralisaram impactando uma redução na produção. “Isso mostra que a categoria está se conscientizando em fazer uma grande greve. A Fafen entrou na paralisação no domingo, o que fez com que houvesse redução na produção, e no mar, os trabalhadores que embarcariam na última terça não foram”, contou Bruno. Em Pilar (AL), a produção foi paralisada em 100%.

Atualmente, a unidade da Petrobras SE/AL, tem 2 mil funcionários diretos e 8 mil terceirizados e segundo o presidente do Sindipetro, grande parte já aderiu ao movimento grevista. “Em algumas unidades quem está operando são os gerentes e supervisores, que não tem treinamento para operar, colocando em risco a segurança deles, pois os operadores estão em greve”, relatou. O sindicalista também destacou que a Petrobras mude sua posição e comece a negociar.

Portal A8SE

Rinaldo de Assis, que há 33 anos luta com o sindicato, afirma que a greve é legitima. “Essa greve é legal, temos que lutar pelos salários e direitos que querem tirar. Cada dia a adesão está crescendo mais, do total de 51 plataformas de Campos, 47 estão paradas. Nós temos que ter cuidado, pois a população não pode sofrer, por isso temos o cuidado, mas corre o risco, já que a greve está crescendo e o Governo não se posiciona”.

Nacional

A produção de petróleo no Brasil teve queda de 8,5 % na terça-feira (3), segundo nota divulgada às 21h56 pela Petrobras. Este percentual representa 178 mil barris de petróleo da produção diária da companhia. Na avaliação da empresa, o resultado mostra que a greve dos petroleiros, coordenada pelas entidades sindicais, ainda afeta as operações.

A Petrobras destacou que está adotando ações para reduzir os impactos do movimento grevista e espera, no fechamento dessa quarta-feira que a produção no Brasil apresente uma redução de 140 mil barris de petróleo. O número corresponde a 6,5% da produção diária antes do começo da greve. “A Petrobras continua tomando as medidas necessárias para garantir a manutenção de suas atividades, preservando suas instalações e a segurança de seus trabalhadores”, informou a companhia.

A Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) informou ontem (4) que faz acompanhamento permanente do mercado de combustíveis e até o momento não identificou falta de abastecimento por causa da greve dos petroleiros. A ANP garantiu, no entanto que “se houver desabastecimento, estudará as medidas a serem tomadas”.