Sergipe

30/10/2015 às 09h50

Condutores de ambulância do Samu anunciam greve para o dia 5 de novembro

Redação Portal A8

Foto: Portal A8SE
O Sindicato dos Condutores de Ambulância do Estado de Sergipe realizou na manhã desta sexta-feira (30) uma assembleia e decidiu pela greve da categoria que será iniciada no dia 5 de novembro. Eles cobram a legalização do acordo firmado em 2014 entre o governo e os servidores em relação a direitos trabalhistas.

De acordo com o sindicato, as cláusulas do acordo estão sendo cumpridas, no entanto, o Tribunal de Contas de Sergipe (TCE) exige a legalização do tratado entre as partes. “Infelizmente o governo vem descumprindo o acordo de greve, firmado dia 30 de maio do ano passado. O governo necessita fazer uma lei legalizando esse acordo de greve só que eles vêm nos enrolando. Isso é uma solicitação do TCE. Nós temos que dar um basta na situação, todo mês que vence o prazo é essa agonia. Há meses eu venho tentando conversar com o secretário de saúde, mas toda vez é essa enrolação”, afirma, Adilson Ferreira, presidente do Sindicato dos Condutores de Ambulância do Estado de Sergipe.


Segundo Adilson, no acordo de greve ficaram estabelecidas algumas cláusulas reivindicadas pela categoria. “Ficou acertado a união de ficção variável do servidor da saúde, a redução e carga horária de 36h para 24h, entre outros benefícios para os trabalhadores”, destaca.


Presidente do Sindicato dos condutores do SAMU, Adilson Ferreira/ Foto: A8SE
Outro ponto discutido em assembleia foi o parcelamento de pagamento dos salários dos servidores. A categoria condena a atitude do governo. “A gente recebe pouco mais de mil reais e ainda parcela? Eu mesmo tenho muitas dívidas em débito em conta, empréstimo, e as despesas de casa para quitar. A gente sabe que existe verba para pagamento de salário, o Estado não quebrou da noite para o dia. Isso é uma forma do governo retaliar as categorias para não pedir o repasse da inflação. A gente está chegando em uma situação de ter interferência dentro de casa. Como eu vou dizer a minha família que não dinheiro para a alimentação? Como vou pagar minhas refeições diárias que eu tenho que comprar durante o meu plantão, aqui? Todo isso é pago com meu dinheiro. É necessário que as categorias se juntem para não chegar ao ponto de ficar meses sem receber os salários”, diz o presidente do sindicato.


A categoria também pede melhorias nas condições de trabalho. “Nós temos dezenas de ambulâncias quebradas em muitos municípios de Sergipe. Tem muitas bases do Samu que estão inoperantes. São pessoas que precisam do serviço e não tem porque o governo diz que não tem dinheiro para pagar as oficinas. A saúde não pode ser tratada assim pelo governo”, conclui Adilson.

Na próxima terça-feira (03), o Sindicato irá enviar uma notificação ao Governo para informar a greve, pois é preciso que haja uma notificação de 72h antes do início da paralisação. Além dos condutores, os técnicos de enfermagem também vão aderir a greve.