Sergipe

29/10/2015 às 09h45

Casal mineiro acusado de estelionato é preso em Nossa Senhora do Socorro

Redação Portal A8

Um casal mineiro foi preso na manhã desta quinta-feira (29), no conjunto Marcos Freire II, em Nossa Senhora do Socorro, acusado de estelionato. Adriana Alves da Silva, 44 anos, e Gleidosn Olson dos Prazeres, 45 anos, estavam foragidos da justiça de Minas Gerais, que já havia expedido um mandado de prisão contra a dupla.

Os dois residiam em Sergipe há mais de dois anos e há cerca de 20 dias, a Polícia Civil sergipana, através do delegado Ademir Melo, delegado da 5ª Delegacia Metropolitana, foi acionado para auxiliar a polícia mineira. “ Recebemos a informação de que esse casal estava foragido e que estaria em Nossa Senhora do Socorro, a partir daí começamos a fazer diligências e investigações para localizarmos e na manhã de hoje prendermos”, contou o delegado.

Ainda segundo informações do Delegado Ademir Melo, a dupla é acusada de diversos golpes em Minas Gerais, que somam um montante de quase R$ 100 mil reais, só na cidade de Ipatinga (MG), o lucro do casal chegou a R$ 50 mil. “Eles trabalhavam na área de corretagem de seguro, então eles recolhiam dinheiro das vítimas e não repassavam para as seguradoras. As vítimas só descobriam quando se envolviam em sinistros ou quando recebiam cartas cobranças das parcelas dos seguros nas casas dessas vítimas”, afirmou.

O delegado também relatou que quando o mandado de prisão preventiva foi expedido pela justiça eles fugiram para o estado de Sergipe. “Aqui eles chegaram por indicação de amigos que informaram que o estado era um lugar bom de viver e de trabalho fácil. Mas aqui os localizamos e prendemos”.

O casal nega ter praticado crimes em Sergipe, o delegado irá aprofundar as investigações para detectar todos os golpes registrados na 5ª Delegacia Metropolitana para ver se eles podem estar envolvidos. “Agora vamos fazer levantamento de todos os boletins e convocar as vítimas para que possam fazer reconhecimento, pedimos também que se alguém os identificar através das imagens divulgadas que entrem em contato com a polícia”, destacou.

A investigação foi conjunta entre as polícias Mineira e Sergipana. Agora os acusados vão ser recambiados para que respondam junto a justiça mineira.