Sergipe

29/10/2015 às 08h49

Surto de Chikungunya assusta moradores do bairro Industrial

Redação Portal A8

Eduardo Vieira está com sintomas da doença/ Foto: Portal A8SE
Moradores de quatro casas localizadas na rua Corinto Leite, no bairro Industrial, foram diagnosticados com Chikungunya nos últimos dias. O surto está deixando a vizinhança preocupada.

Em uma das casas, cinco pessoas estão confirmadas com a Chikungunya. O aposentado, Eduardo Vieira, diz que só conseguiu levantar da cama na manhã desta quinta-feira (29). “Passei a semana toda assim, indisposto. Muita dor de cabeça, o corpo mole, dor nos ossos, dor nos músculos, as articulações inchadas, a pessoa não consegue nem andar. E não é só aqui em casa não, os vizinhos também estão doentes”, afirma.

A dona de casa, Geise de Almeida, conta que além de Eduardo mais pessoas da família estão doentes. “Minha filha foi trabalhar a pulso ontem se sentindo mal. A minha neta também estava com os sintomas. Aqui está todo mundo doente, todo mundo morrendo”.

A população ainda reclama do atendimento médico nas unidades e postos de saúde. “Fui no Nestor Piva e só fui atendida porque dei um show, fiz um escândalo. Infelizmente nesses lugares você só é atendido quando a gente briga. E ninguém sabe direito se está com dengue ou Chikungunya porque os médicos não fazem exames, só passam remédio e mandam ir para casa”, desabafa Geise.

A vizinhança também está insatisfeita com a falta de ações para combater o mosquito transmissor da doença. “O carro do fumacê não passa mais por aqui há tempos. Os agentes de endemias também não andam mais por essas bandas. Aí gente fica à mercê da sorte. O resultado é esse aí, todo mundo doente”, conclui.

De acordo a assessoria da Secretaria de Saúde Municipal, o mapeamento dos locais onde irá passar o carro fumacê é determinado pelo Estado de acordo com o índice de infestação apresentado no Lira (Levanatamento Rápido do Índice de Infestação para o Aedes Aegypti). Quanto aos agentes de endemias, a assessoria informa que a população pode ligar para a vigilância epidemiológica para registrar a queixa dos casos da doença na localidade. O número é 3179-1000.

A Secretaria também informou que até o momento só foram confirmados cinco casos de chikungunya em Aracaju.