Sergipe

28/10/2015 às 11h27

Vereador denuncia falta de merenda em escolas de povoados de São Cristóvão

Redação Portal A8

Mais uma vez o município de São Cristóvão é alvo de denúncias sobre a falta de merenda escolar. De acordo com o vereador Vanderlan Correia, os alunos das escolas dos povoados estão sofrendo sem alimentação na escola, pelo menos três escolas estariam sem merenda. No povoado Candeal, a escola rural já está há 60 dias nessa situação.

Segundo Nélio Miguel Oliveira dos Santos Júnior, do Movimento Acorda São Cristóvão, os alunos começaram a reclamar da falta de alimentação e os pais formaram uma comissão para averiguar a situação. “Lá eles constataram que a reclamação das crianças procedia.  É triste porque depois de todo o escândalo que teve em São Cristóvão, a gente ainda presencia isso. Não existe nem rosquinha. Eles pegam frutos da vizinhança para se alimentar”, contou Nélio.

Pelo menos três escolas foram citadas pelo vereador, o colégio do povoado Cardoso, o colégio Madre Paulina e o do povoado Candeal. São alunos da pré-escola e do ensino básico. “Estão em fase de crescimento e precisam de alimentação para estudar. Esperava-se que depois de todo aquele escândalo que eles não parassem mais com a merenda. Parece que só distribuem no centro histórico e nos povoados nada. Parece que virou rotina, merenda em são Cristóvão tem que dar problema”, destacou o vereador Vanderlan.

Na escola rural do povoado Candeal, onde o vereador realizou uma visita na manhã desta quarta-feira (28), a planilha foi verificada e constava um registro do último recebimento de merenda no dia 27 de agosto. Na instituição são 20 alunos, que além de não receber alimentação, estudam em uma única sala, mesmo sendo de séries diferentes. “Lá são duas salas, mas apenas um funciona para todos e apenas um único professor, que é também diretor”, relatou Vanderlan Correia.

De acordo com a Secretária de Educação do Município, em exercício, Emilene Paixão, a denúncia não procede, pois não há nenhuma escola sem merenda. “Temos ausência de alguns itens, mas não falta comida”, declarou.

Ainda segundo a secretária, essa falta é em decorrência ao período de transição entre fim do contrato emergencial e o início com o novo fornecedor. “Após as denúncias sobre a merenda no município, foram cancelados todos os contratos de fornecedores que haviam antes e para que não houvesse prejuízo foi realizado o contrato emergencial, que já chegou ao fim. Agora estamos nesse período de transição para esse novo fornecimento, por isso, alguns itens ainda não chegaram”, afirmou a secretária. A previsão é que até o final da semana toda a merenda já esteja regularizada.