Sergipe

26/10/2015 às 08h06

Moradores do bairro Cirurgia reclamam de abandono do Centro de Criatividade

Redação Portal A8

Moradores do bairro Cirurgia, em Aracaju, reclamam do abandono do Centro de Criatividade. A população da região pede providências do poder público para a conclusão das obras de reforma. Segundo eles, a construção está parada há mais de um ano.


“Passou três meses reformando, quebraram tudo aí e depois abandonaram, a firma foi embora. Agora está entregue às baratas. E o abandono só atrai o que não presta. Direto os vagabundos vem aí fumar maconha”, denuncia Pedro Soares.

Pedro Soares mora em frente ao Centro de Criatividade há mais de 20 anos


A placa em frente ao Centro de Criatividade, informa que o valor da obra está estimado em pouco mais de 1 milhão de reais. A reforma tinha como objetivo ampliar e adequar o local. O prazo de conclusão era de 240 dias. Estimativa que não está sendo cumprida e que deixa a população revoltada. “Essa reforma começou em julho de 2014 e foi até outubro de 2014. Depois, ficou essa bagaceira que está”, afirma Edilma de Jesus.


Quando funcionava, o Centro de Criatividade também dava lucro para comunidade. “As pessoas ficavam na porta para vender as suas mercadorias quando tinha evento. No São João o pessoal lucrava bastante. Hoje, não tem mais nada disso”, diz Edilma.


Segundo a vizinhança, o abandono do local também atrai doenças para a população. “O local abandonado atrai muitos insetos peçonhentos. É aranha, escorpião, barata, rato, tudo que não presta. O pessoal aqui, direto, tem dengue, pode ser que seja até por causa desse Centro aí abandonado”, relata Carlos Alberto de Souza Melo.


Os moradores relembram que no Centro de Criatividade acontecia diversas ações culturais que atraiam a comunidade e muitos turistas. Com o abandono, nada disso é mais possível. “Aconteciam atividade de esportes, oficina de artes, tinha teatro, um palco que aconteciam shows, era um lugar interessante. Funcionou por alguns anos e depois fechou. Começou um processo de regressão e hoje está em total abandono. Afastou os turistas que vinham aqui e a população que era beneficiada, não é mais” conclui Carlos Alberto.