Sergipe

19/10/2015 às 10h56

Estudantes da UFS voltam às aulas sem professores e com provas marcadas

Redação Portal A8

A UFS volta a ter movimentação dos alunos

Após quase quatro meses em greve os professores da Universidade Federal de Sergipe voltam a lecionar na manhã desta segunda-feira (19). Os estudantes voltam ás aulas, mas muitos reclamam da falta de professores e outros já têm provas marcadas para ainda esta semana. A ordem é adiantar ao máximo para que o período termine ainda no dia 22 de dezembro.

Mateus Barcelar, cursa engenharia elétrica, para ele a demora do período da greve foi o suficiente para ele decidir transferir o curso dele para uma universidade particular, “Eu não vejo nenhuma medida por parte do governo, que incentive o ensino público, então estou retornando com o objetivo de terminar esse período e depois fazer a transferência”, reforça.  

Já a estudante Manuela Alves, do curso de Química, ela permaneceu na faculdade, e mesmo assim acredita que terá dificuldade. “ Eu acho que deveria ter uma revisão pelo menos, porque eu estou vendo que muitos professores estão com prova marcada, tenho colegas que farão prova hoje mesmo, e isso complica um pouco para o aluno”, explica.

Já a professora Luciane Melo diz que vai fazer uma revisão, “Quando começa uma greve a gente nunca sabe os desfechos, mas por enquanto, são as ferramentas que a gente tem para manter algum tipo de conversa”, ela informou que com o andamento do calendário ela vai concluir algum conteúdo que estava pendente, mas na verdade por causa da dinâmica de deflagrar a greve ela conseguiu finalizar provas de uma das unidades antes mesmo da greve.

 

Falta professor

Bruno Lopes faz engenharia química, ele está no primeiro período do curso e ao iniciar já se deparou com a greve. “ Eu ainda não estou acreditando que voltou, porque a ao retornar da greve já não tive a primeira aula, porque o contrato da professora de Cálculo acabou”, ratifica outro problema.

 

Comércio ao redor da universidade

Além dos estudantes muitos comerciantes do entorno da universidade ficaram esperançosos com o retorno, já que foi verificado uma redução de cerca de 90% por cento. No restaurante de de Dona Maria Valderez, o almoço já foi feito em maior quantidade, ela está esperando os alunos para ver se movimenta as vendas. “Hoje ainda não veremos o resultado, mas a partir de amanhã já melhora, como o restaurante universitário já voltou, eu não posso dobrar a quantidade”, conta.

Maria Valderez aguarda com ansiedade a movimentação com as aulas

O dono da copiadora que fica em frente à universidade também está contente com o retorno, ele disse que a movimentação reduziu em 70%, mas agora espera voltar ao normal, mas não espera muito por causa da crise.